Pequeno dicionário de gírias brasileiras

  • 12 fevereiro 2014
  • comentários

Uma das coisas que amo no Brasil são as gírias. Incorporei várias ao meu vocabulário apesar de ter plena consciência de que este é um processo muitas vezes vergonhoso em que, certamente, erro mais do que acerto.

'Oxente, nordestina, claro! E com muito orgulho'

Acho fantástico falar algo que não está no dicionário, a prova cabal de que a língua é viva e mutante.

"Massa" é uma das minhas gírias preferidas. Adoro a reação das pessoas. Ficam meio que de boca aberta, largam um sorriso e disparam: "nordestina!".

"Oxente, nordestina, claro! E com muito orgulho".

Foi Recife que me ensinou o português das ruas. O dos livros aprendi na Universidade de Oxford e confesso que me foi praticamente inútil ao chegar ao Brasil.

Cheguei com aquela confiança ingênua de quem leu muito e aprendeu a língua em sua forma teórica, rígida. Sabia discursar por uns cinco minutos sobre globalização, um dos temas preferidos em provas orais da universidade. Mas "viajava na maionese" nas situações do dia a dia.

Recentemente, em uma festa, com música ao fundo e conversas em alto volume, tentava entender, com lápis e papel na mão, a complexidade do uso da palavra "sacanagem".

"Tá ligada?". "Tô", respondi, sem tanta certeza. E o melhor é que o aprendizado não acaba nunca e somos sempre surpreendidos pela gíria "da hora".

Silvia Salek (Diretora de redação interina da BBC Brasil): Vamos ajudar a Lily a criar seu pequeno dicionário das gírias brasileiras? Quais seriam as gírias essenciais (umas cinco?) do seu bairro, cidade ou região? Obrigada!