Beijos e abraços...mas nem te conheço!

  • 31 março 2014
  • comentários

Adoro o costume brasileiro de se cumprimentar e se despedir com beijos e abraços.

Até por e-mail, recebo bjos e abs dos meus amigos e parentes brasileiros.

Apesar de tentar acompanhar esse jeito afetuoso, sinto que ainda estou aprendendo e nem sempre acerto.

Fico sempre na dúvida. Por exemplo, nunca sei ao certo quando é apropriado terminar um e-mail com "abraços".

Me pergunto, será que estou querendo dizer que sinto vontade de dar um abraço naquela pessoa?

A dificuldade é maior ainda em correspondências de uma relação profissional.

Às vezes recebo abraços e beijos em e-mails de pessoas que nem conheço.

Na Inglaterra nunca se escreveria hugs! ao fim de um e-mail.

Seria o equivalente a uma invasão de privacidade, o que, por costume, é evitado na sociedade britânica.

Mas confesso que quando estou na Inglaterra sinto falta dessas manifestações de afeto.

Acho que uma pessoa típica inglesa recebe menos abraços e beijos durante a vida do que um brasileiro típico.

A minha mãe sempre dava um abraço enorme em todos meus amigos de escola ingleses, e continua a fazer com meus amigos de faculdade.

Apesar de ficarem surpreendidos, sem saber como reagir, tudo mundo sempre queria voltar para a casa da Yara, onde se sentem bem-vindos.

E você, o que pensa? Acha também que tantos abraços e beijos invadem e aproximam mais do que deviam? Ou acha que as manifestações de afeto servem para quebrar barreiras?