Que tipo de Copa vai ser essa?

Esta é a primeira vez que estou num país-sede de um evento tão grande como a Copa do Mundo.

Faltam pouco mais de duas semanas para a Copa e eu estou chocada pela fúria que vem sendo manifestada por muitos brasileiros contra o torneio. A determinação dos manifestantes me impressiona muito, acho admirável ver as pessoas lutarem pelos seus ideais.

Direito de imagem xx

Somente nos últimos sete dias, eu vi uma manifestação de professores; uma greve de transporte público que deixou quilômetros de ruas vazias, sem ônibus; e diversos novos protestos contra a Copa que forçaram o fechamento de ruas e grandes avenidas de São Paulo e de outras cidades brasileiras.

No momento em que escrevo este post, ocorre uma manifestação enorme na Avenida Faria Lima, bem aqui onde moro, perto do centro de São Paulo.

Alguém que não tenha conhecimento da situação vivida aqui no Brasil deve pensar que os brasileiros estão contentes por ter a Copa em seu país – exatamente o tipo de imagem que o governo está tentando passar.

Direito de imagem xx

Mas, cada vez fica mais claro que se estas ações continuarem acontecendo durante o torneio, as paralisações vão sim afetar o evento.

Imaginem uma greve no transporte público em dia de jogo! A cidade ficará praticamente paralisada.

Basta ver as fotos da multidão na estação Pinheiros que foram publicadas nas capas dos grandes jornais.

Me faz pensar como reagirão a polícia e os políticos.

Será que para evitar o risco de vergonha internacional, a presidente Dilma Rousseff irá atender as reivindicações dos cidadãos?

Como já deixei claro no meu último post, não tenho muita fé em políticos.

Estas manifestações começaram no ano passado e o fato delas continuarem até hoje mostra que, até agora, as reclamações não foram atendidas.

Mas, com os olhos de milhões de pessoas voltados para o Brasil, os manifestantes sabem que o momento é favorável.

Direito de imagem xx

Resta saber que tipo de imagens vão marcar a Copa do Mundo de 2014.

A visão de um gol marcado por Neymar, Messi ou Cristiano Ronaldo? Ou a de manifestantes e policiais nas ruas de uma das cidades-sede envoltos numa nuvem de gás lacrimogêneo?

O que você acha?