Escândalo da carne lança dúvida sobre agronegócio, "pilar" da economia brasileira, diz NYT

carne Direito de imagem Getty Images
Image caption Jornais alertam para impactos do escândalo da carne brasileira para a economia nacional

O escândalo envolvendo mais 30 empresas alimentícias brasileiras acusadas de mudar a data de vencimento de carnes estragadas, maquiar seu aspecto ou usar químicos para mascarar o mau cheiro teve grande repercussão internacional.

Ao abordar a operação chamada "Carne Fraca" da Polícia Federal, algumas publicações mencionaram as consequências que a investigação poderá ter para a economia brasileira, já que ela atinge um dos principais produtos de exportação do país.

Para o New York Times, o escândalo "lança dúvidas sobre a indústria do agronegócio no Brasil, um pilar relativamente firme da fraca economia do país". O jornal ainda diz que a investigação é mais um "golpe" na economia brasileira, que tem "lutado para se recuperar de escândalos colossais na Petrobras, a companhia nacional do petróleo, e na Odebrecht, uma construtora gigante."

A operação deflagrada nesta sexta-feira é a maior da história da Polícia Federal e atinge duas das principais exportadoras do país - e maiores fornecedoras mundiais de carne -, a JBS e a BRF.

Segundo as autoridades, as ações fraudulentas incluíam alterar os rótulos e as datas de vencimento dos produtos, injetar água na carne para aumentar seu peso e tratar as carnes com ácido ascórbico, substância potencialmente cancerígena. Alguns desses produtos, inclusive, teriam sido vendidos para fabricação de merenda escolar de colégios públicos no Paraná.

Ainda de acordo com a investigação, as carnes adulteradas acabavam aprovadas por fiscais do Ministério da Agricultura, que recebiam suborno das empresas para isso. O New York Times menciona o vínculo dessas propinas com o PMDB.

"Fiscais falsificavam liberações sanitárias, e propinas eram canalizadas para o Partido do Movimento Democrático Brasileiro, do presidente Michel Temer, segundo autoridades", afirma o jornal.

A publicação ainda cita que "a JBS é uma das maiores produtoras de carne do mundo e que a BRF é uma grande exportadora de carne para o Oriente Médio e a Ásia".

O britânico Financial Times também levanta dúvidas sobre o futuro da indústria da carne no Brasil após o escândalo.

"A investigação - que a polícia afirma ter envolvimento de fiscais da saúde e políticos do Partido do Movimento Democrático Brasileiro recebendo propina das empresas - vai levantar preocupações sobre a indústria da carne brasileira, que ascendeu na última década para se tornar uma das mais importantes do mundo", afirma o jornal.

Outras manchetes

Os principais jornais do mundo noticiaram o que chamaram de "escândalo da carne no Brasil". O britânico The Telegraph citou as acusações de corrupção para "manter a carne podre no mercado".

"Empresas brasileiras 'subornaram fiscais para manter carne podre no mercado' e se envolveram em investigação de corrupção", dizia a manchete. O jornal também mencionou o possível impacto do escândalo na economia brasileira.

Direito de imagem Getty Images
Image caption O aspecto físico da carne vencida era maquiado com produtos químicos e ou injetado com água

"As autoridades alertaram que o caso foi um duro golpe para a imagem internacional do setor de agronegócio brasileiro, com o qual o governo contava fortemente para ajudar o Brasil a se recuperar da pior recessão em décadas."

"Ações da JBS fecharam na sexta em queda de mais de 11%, enquanto as da BRF caíram quase 8%", pontuou a publicação.

Nos Estados Unidos, o assunto também ganhou destaque nos principais jornais. Além do New York Times, a CNN também falou sobre o caso, citando a "carne podre", e o Washington Post ressaltou o esquema de corrupção.

"Brasil investiga gigantes de alimentos que estariam vendendo carne podre", era a manchete do canal americano, enquanto a publicação da capital trazia: "Gigantes indústrias de carne do Brasil são alvo em investigação sobre corrupção".