Espanhol que usou skate para salvar vítima está entre os mortos do ataque de Londres

Ignacio Echeverría Direito de imagem j.echeverria
Image caption Ignacio Echeverría tinha 39 anos e trabalhava para o HSBC

O bancário Ignacio Echeverría, de 39 anos, que tentou salvar uma mulher que estava sendo esfaqueada por um dos autores do ataque em Londres usando um skate, morreu no atentado, segundo sua família.

"Ignacio não sobreviveu ao momento do ataque. Agradecemos a todos que se dispuseram e ajudaram. Sabemos que não somos os únicos a estarem tristes", disse a família do espanhol em uma mensagem publicada no Facebook.

Até o momento, as autoridades britânicas e espanholas não confirmaram sua morte.

Echeverría estava desaparecido desde o dia do ataque, quando estava com amigos andando de skate e viu um homem esfaquear uma mulher.

Ele correu para socorrê-la, usando o skate para tentar afastar o criminoso.

Direito de imagem Policia Metropolitana Londres
Image caption Khuram Shazad Butt, Rachid Redouane e Youssef Zaghba

"Quando nos demos conta, Ignacio estava batendo em um deles com seu skate para defender essa mulher. E foi assim que de repente ele caiu no chão", disse um dos amigos ao programa Espejo Público, da rádio Antena 3, na Espanha.

Desde então, eles não tiveram mais notícias do amigo.

Na mensagem publicada no Facebook, a irmã de Ignacio, Ana Echeverría, pede que as autoridades britânicas deixem a família ver e estar com o corpo dele - algo que aparentemente não aconteceria até esta quarta-feira.

Direito de imagem Facebook
Image caption A mensagem da irmã de Ignacio no Facebook

Pelo menos oito pessoas morreram e mais de 45 ficaram feridas nos ataques na região da London Bridge e do Borough Market.

Os responsáveis atropelaram algumas das vítimas com um van e depois desceram do veículo esfaqueando pessoas nas ruas, bares e restaurantes.

A polícia chegou ao local do ataque oito minutos depois da primeira ligação aos serviços de emergência.

Oito agentes armados dispararam contra os responsáveis pelo atentado, que morreram no local.

Eles foram identificados como Khuram Shazad Butt, Rachid Redouane e Youseff Zaghba.

O ataque foi reivindicado pelo grupo extremista autodenominado Estado Islâmico.

Tópicos relacionados

Notícias relacionadas