Eleitores do PT são mal informados ou defensores de mazelas, diz Doria
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Eleitores do PT são mal informados ou defensores de mazelas, diz Doria

Em entrevista exclusiva à BBC Brasil, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), falou sobre diversos temas, da popularidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva até a megaoperação policial na cracolândia, no centro da cidade.

Durante a conversa, Doria classificou os eleitores de Lula, líder nas pesquisas na corrida presidencial de 2018, como mal informados ou "defensores da mazela e do mal feito".

“Ele (Lula) também é um inimigo do Brasil, embora tenha eleitores e uma base do eleitorado. Ou porque reconhece nele, mesmo diante das falcatruas, dos erros, das mazelas e das mentiras, um líder, o que é muito triste.”

Apesar de dizer que a disputa eleitoral de 2018 é assunto para janeiro, o prefeito minimizou o crescimento do atual segundo colocado, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

“É um candidato assumido, faz campanha há um ano pelo Brasil e isso vai sensibilizando uma parcela dos eleitores. Mas não creio que seja uma sensibilização definitiva.”

Questionado sobe a aliança com o governo de Michel Temer, Doria diz que “é preciso ter pragmatismo”.

“Não é a defesa incondicional do presidente Temer nem a defesa incondicional do seu governo. É a defesa do país, do Brasil e da sua governabilidade. E ter a certeza e a convicção de que teremos as eleições realizadas no seu prazo determinado constitucionalmente, que é em outubro de 2018”, disse.

Outro tema abordado na entrevista foi a operação que dispersou dependentes químicos e traficantes da cracolândia, em São Paulo, um dos maiores espaços abertos de consumo de drogas do mundo.

“A cracolândia fisicamente onde estava, no quarteirão da rua Helvétia com a Dino Bueno, acabou e não volta mais. Enquanto eu for prefeito de São Paulo, eu posso assegurar que ali não volta mais”, afirmou.

Após a operação, os usuários se espalharam pela cidade e formaram outra cracolândia na praça Princesa Isabel, próximo da anterior. A BBC Brasil questionou Doria a respeito disso.

"Uma coisa é acabar fisicamente com o espaço da cracolândia. Outra coisa é o enfrentamento de uma questão longa e difícil que são os usuários."

Leia aqui a entrevista completa com o prefeito João Doria.

Reportagem de Felipe Souza, Adriano Brito e Daniel Gallas, da BBC Brasil em São Paulo.