Brasil usará plano de gripe aviária contra suína, diz governo

Image caption A vigilância está sendo aumentada nos aeroportos mexicanos

Para combater o surto de gripe suína, o governo brasileiro vai utilizar o plano de contingência criado em 2006 para combater a gripe aviária, afirmou nesta segunda-feira o diretor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), José Agenor Álvares.

O monitoramento deve começar ainda dentro das aeronaves que chegarem do México e dos Estados Unidos. Caso haja algum suspeito, todos os passageiros do voo serão submetidos a uma avaliação médica.

Segundo Álvares, não há motivo para alarme, mas sim preocupação.

"Nossas equipes estão reunidas em tempo integral na análise dos casos para tomar as providências", disse ele.

Minimizar o contato

Segundo o diretor da Anvisa, 6 mil pessoas desembarcam por dia nos aeroportos brasileiros vindas do México e dos EUA.

Álvares disse que os principais aeroportos do país vão contar com ambulâncias de plantão para transportar eventuais suspeitos direto das aeronaves a algum hospital especializado, tentando minimizar o contato com a população.

O plano de contingência prevê ainda que a tripulação das aeronaves colabore na detecção de possíveis infectados. Eles vão ser orientados a prestar atenção à presença de pessoas a bordo com sintomas comuns de gripe, ou seja, febris, tossindo ou espirrando.

Os passageiros que vierem de México e Estados Unidos serão instruídos pela tripulação a preencher atentamente a declaração de chegada, já que este será o principal documento para eventuais contatos posteriores. A Anvisa já começou a distribuir cerca de 1 milhão de folhetos com explicações sobre a doença nos principais aeroportos.

Álvares disse que não há restrição de viagens para países afetados. Ainda não foi confirmado nenhum caso da doença no Brasil.

Notícias relacionadas