Infectados com gripe suína já passam de mil, diz OMS

Escultura de pouco com uma máscara na cidade alemã de Bremen
Image caption A Alemanha já confirmou oito casos e suspeita de outros 20

A Organização Mundial de Saúde disse nesta segunda-feira que já foram confirmados 1.025 casos de gripe suína em 20 países e 26 mortes. No domingo, a entidade havia confirmado 985 casos.

Mesmo assim, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse que a OMS não pretende, por hora, elevar o grau de alerta da doença.

"Se a situação permanecer como está, a OMS não pretende elevar o alerta para o nível 6", disse ele. O nível 6, último da escala, significa que o mundo já atravessa uma pandemia.

A chefe da OMS, Margaret Chan, disse que "não há indicação de que atravessamos uma situação similar à 1918", referindo-se à gripe espanhola, responsabilizada pela morte de dezenas de milhões de pessoas.

Mas a OMS ressaltou que os governos mundiais não devem baixar a guarda em resposta ao surto.

Leia mais na BBC Brasil: OMS pede que países não baixem a guarda diante de gripe suína

O diretor-Geral assistente da OMS, Keiji Fukuda, disse que o vírus da gripe pode ser transmitido mais facilmente no hemisfério sul nos próximos meses, quando se aproximam os meses de inverno.

"Nos preocupamos com a infecção se deslocando rumo ao hemisfério sul porque o inverno se aproxima nesta parte do mundo", disse ele.

"Os surtos de gripe costumam ser mais facilmente transmitidos nestes meses." México

O México, país onde surgiram os primeiros casos da doença e o mais afetado, confirmou 26 mortes causadas pelo vírus e disse que 701 pessoas foram infectadas. Os números de domingo eram de 22 mortes e 568 infectados.

Mas o governo disse que há quatro dias não surgem novos casos de infecção e as novas confirmações se referem a pessoas que já estavam doentes e testes revelaram que se tratava da gripe suína.

Integrantes do governo da Cidade do México, local onde foi registrada a maioria da mortes, disseram que pretendem reabrir restaurantes e locais de venda de comida na quarta-feira. Igrejas e museus devem voltar a funcionar na quinta-feira, mas bares, discotecas, cinemas e teatros devem permanecer fechados até segunda ordem. O México disse que pretende enviar um avião para retirar cerca de 70 de seus cidadãos que foram isolados em quarentena na China.

O presidente mexicano, Felipe Calderón, criticou a medida chinesa, dizendo que esta seria fruto de falta de informação. A China não disse se vai permitir que os mexicanos embarquem no avião.

Outras 250 pessoas se encontram em quarentena em um hotel em Hong Kong depois que um hóspede foi diagnosticado com a gripe suína.

Resto do mundo

Portugal confirmou, nesta segunda-feira, seu primeiro caso da doença, mas ainda não entrou na lista dos países infectados da OMS.

Image caption El Salvador confirmou dois casos da doença no domingo

Outro país europeu, a Suíça, decidiu isolar 250 recrutas de um acampamento do Exército após dois deles se tornarem suspeitos de ter contraído a doença. Até o momento, o país confirmou nenhum caso da gripe suína.

Os Estados Unidos, segundo país mais atingido, confirmou nesta segunda-feira que 286 pessoas foram infectadas, a grande maioria considerada casos leves. Já foram registrados casos em mais da metade (36) dos 50 Estados do país.

Leia mais na BBC Brasil sobre a gripe suína nos Estados Unidos

Apenas uma pessoa, um bebê mexicano de quase dois anos em viagem ao país, morreu por causa da gripe nos Estados Unidos.

O Brasil é um dos vários países que monitora casos suspeitos, mas até agora não teve casos confirmados.

O Ministério da Saúde disse que suspeita que 15 pacientes podem ter contraído a gripe, 44 pessoas estão sendo monitoradas e outros 43 casos foram examinados e descartados.

Alem de México, EUA, Suíça e Portugal, já foram confirmados casos no Canadá, Espanha, Grã-Bretanha, Alemanha, Nova Zelândia, Israel, El Salvador, Itália, França, Colômbia, Dinamarca, Hong Kong, Irlanda, Holanda e Coreia do Sul.

Notícias relacionadas