Espaço

Hubble completa 20 anos com promessa de operar até 2013

galeria de fotos - 20 anos do hubble

  • Foto: Nasa, AEE, M. Livio e Equipe Hubble 20 Anos
    Para comemorar os 20 anos do Hubble, a Nasa divulgou a mais recente imagem produzida pelo telescópio, da nebulosa Eta Carinae, localizada a 7,5 mil anos-luz da Terra (Foto: Nasa, AEE, M. Livio e Equipe Hubble 20 Anos)
  • Foto: Nasa, 1990
    O Hubble começou a ser projetado e construído na década de 70, mas seu lançamento foi adiado depois do desastre com o ônibus espacial Challenger, em 1986. Quatro anos depois, ele era levado à órbita terrestre (Foto: Nasa, 1990)
  • Foto: Nasa, AEE e E. Karkoschka (Universidade do Arizona)
    O Hubble observou mais de 30 mil corpos celestes e conseguiu as imagens mais nítidas do nosso Sistema Solar, como esta, do planeta Júpiter (Foto: Nasa, AEE e E. Karkoschka (Universidade do Arizona))
  • Foto: Nasa, 2009
    Nestas duas décadas, o telescópio passou por vários reparos e substituições de peças. Em 2009, astronautas trocaram equipamentos que deram ao Hubble uma visão cem vezes mais potente do que em 1990 (Foto: Nasa, 2009)
  • Foto: Nasa, AEE, Equipe Nasa Heritage (STScl)
    Apesar dos problemas, astrônomos acreditam que o Hubble trouxe informações preciosas sobre o Universo. Aqui o encontro de duas galáxias (Foto: Nasa, AEE, Equipe Nasa Heritage (SCScl))
  • Foto: Nasa, AEE e H.E. Bond (STScl)
    Em 2002, o Hubble registrou a estrela gigante V838 Monocerotis. Imagens como esta ajudaram cientistas a compreederem melhor a formação desses astros e a expansão das galáxias (Foto: Nasa, AEE e H.E. Bond (STScl))
  • Foto: Nasa, 2009
    Nesta semana, a Nasa anunciou que o Hubble ficará em operação até 2013 e será substituído no ano seguinte por outro telescópio (Foto: Nasa, 2009)

O telescópio espacial Hubble completa 20 anos em órbita neste sábado.

Para marcar a data, a Nasa, agência espacial americana, e a Agência Espacial Europeia (AEE) divulgaram imagens inéditas produzidas pelo aparelho de uma pequena parte da nebulosa Eta Carinae, conhecida como uma das maiores regiões de nascimentos de estrelas da galáxia.

Nestas duas décadas, o Hubble apresentou vários problemas, como equipamentos quebrados e espelhos que deixaram as imagens fora de foco, obrigando a Nasa a enviar astronautas para fazer reparos.

Mas o consenso entre os especialistas é de que o telescópio realizou descobertas importantíssimas para todas as áreas da astronomia.

'Enigmas'

"A visão poderosa do Hubble expandiu nossos horizontes cósmicos e trouxe à tona um novo conjunto de enigmas sobre o Universo", escreveu o astrônomo britânico Martin Rees em artigo no site da BBC.

"Só nos últimos dez anos aprendemos sobre o grande número de 'mundos' que existem orbitando outras estrelas."

Segundo ele, o telescópio ajudou os astrônomos a descobrir que as galáxias estão se dispersando a uma velocidade acelerada, sob a influência do que chamou de uma "força misteriosa".

"Nossa previsão mais longa é a de que o Cosmos vai continuar se expandindo, tornando-se cada vez mais vazio, mais escuro e mais frio", afirmou Rees.

Em seus 20 anos de operação, o Hubble observou mais de 30 mil corpos celestes e produziu mais de 500 mil imagens.

No ano passado, astronautas instalaram novos equipamentos no telescópio, tornando-o cem vezes mais potente do que quando foi lançado em órbita.

Na última segunda-feira, a Nasa anunciou que o Hubble vai ficar em operação até 2013. No ano seguinte, ele será substituído por outro telescópio espacial, batizado de James Webb.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.