Ciência

Esponja carnívora e cogumelo fálico estão em lista com dez descobertas de 2009

  • Foto: Alastair Robinson - Universidade de Cambridge
    A planta carnívora Nepernthes attenboroughii é uma das maiores conhecidas, com uma 'armadilha' do tamanho de uma bola de futebol americano. Ambientalistas temem que ela esteja em risco de extinção. (Crédito: Alastair Robinson - Universidade de Cambridge)
  • Crédito: ©2005 K.J. Osborn.
    O verme'bombardeiro' Swima bombiviridis vive no fundo do mar e lança 'bombas' que, durante segundos, iluminam o ambiente. A característica é vista como um mecanismo de defesa. (Crédito: ©2005 K.J. Osborn)
  • Crédito: Claude Marcel Hladik - Museu Nacional de História Natural
    O inhame 'bizarro' Dioscorea orangeana é uma nova espécie comestível encontrada em Madagascar, mas os cientistas temem que esteja em risco de extinção, já que é amplamente consumido e cresce em um habitat desprotegido. (Crédito: Claude Marcel Hladik - Museu Nacional de História Natural)
  • Crédito: Cornelis Swennen - Prince of Songkla University
    A descoberta da lesma comedora de insetos Aiteng ater resultou na criação de uma nova família de lesmas, a Aitengidae. (Crédito: Cornelis Swennen - Prince of Songkla University
  • Crédito: ©David Hall/seaphotos.com
    O peixe-sapo Histiophryne psychedelica descoberto na Indonésia chama a atenção por seu desenho 'psicodélico' e por ser o único entre os peixe-sapos a ter o rosto plano. (Crédito: ©David Hall/seaphotos.com)
  • Crédito: Matjaž Kuntner - Centro de Pesquisa Científica da Academia de Ciências e Artes da Eslovênia
    A aranha Nephila komaci é a primeira espécie de Nephila a ser descrita desde 1879 e a maior já encontrada. A fêmea é mais de quatro vezes maior do que o macho. (Crédito: Matjaž Kuntner - Centro de Pesquisa Científica da Academia de Ciências e Artes da Eslovênia)
  • Crédito: Brian A. Perry -  Universidade do Hawai'i at Hilo
    O cogumelo 'fálico' Phallus drewesii, de duas polegadas, foi batizado em homenagem ao cientista Robert Drewes, da Universidade da Califórnia, que passou mais de 30 anos pesquisando novas espécies na África. Crédito: Brian A. Perry - Universidade do Hawaii at Hilo
  • Crédito: Ralf Britz - Departamento de Zoologia, Museu de História Natural, Londres
    Os machos do peixe-drácula Danionella Dracula tem dentes 'caninos' para lutar contra outros machos. Este é o primeiro registro de dentes como este encontrado na Cyprinidae, a maior família de peixes de água doce. (Crédito: Ralf Britz - Departamento de Zoologia, Museu de História Natural, Londres)
  • Crédito: James Albert - Universidade de Louisiana at Lafayette
    O peixe elétrico Gymnotus omarorum já era explorado e usado há décadas como 'modelo de espécie para se entender a fisiologia de um órgão elétrico e a eletro-comunicação', mas era conhecido, erroneamente, por outro nome. Ele mostra o quão pouco sabemos sobre a biodiversidade. (Crédito: James Albert - Universidade de Louisiana at Lafayette)
  • Crédito: Jean Vacelet - CNRS-Université de la Méditerranée
    O cientista que nomeou a esponja 'assassina' Meliiderma turbiformis afirma que há grande variedade de esponjas carnívoras no fundo do oceano, especialmente no Pacífico, onde a maioria das espécies ainda não foi descrita. (Crédito: Jean Vacelet - CNRS-Université de la Méditerranée )

O Instituto Internacional para Exploração das Espécies (IISE, na sigla em inglês) da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, anunciou sua lista com as 10 maiores descobertas de 2009.

Entre as espécies contempladas, está o peixe-sapo psicodélico, uma esponja carnívora e um verme que lança bombas de luz no fundo do mar.

A lista é compilada todos os anos e participantes podem sugerir inclusões através do site do IISE, onde um comitê internacional de especialistas em taxonomia selecionam dez das milhares de novas espécies descritas todos os anos.

Funcionários do IISE também são convidados a enviar sugestões. Entre os critérios está a importância da descoberta para a ciência.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.