Cinema latino busca maior visibilidade em Sundance

sala de cinema lotada em Festival de Sundance
Image caption A expectativa é garantir a distribuição internacional dos filmes.

Uma seleção de filmes latino-americanos chega ao Festival de Cinema de Sundance com a expectativa de aumentar sua visibilidade internacional.

Além do Brasil, Argentina, Bolívia, Colômbia e Peru têm filmes participando da edição de 2010 do festival, com temas que vão desde política e homosexualiade a questões ambientais.

A programadora do festival, Caroline Libresco, afirma ter notado uma mudança importante na quantidade e qualidade do cinema latino-americano.

"Viajei recentemente a Colômbia, Peru e Chile, países que estão produzindo uma nova rodada de produtores que estão fazendo um trabalho emocionante, desenvolvendo talentos e arrecadando financiamento de diferentes partes do mundo", afirmou Caroline.

De acordo com ela, a recepção do cinema latino-americano em Sundance é excepcional; a reputação é de serem filmes inovadores e as salas estão sempre cheias.

Sundance foi fundado em 1978 pelo ator e diretor Robert Redford para promover o cinema independente e viabilizar uma alternativa em relação aos grandes estúdios de Hollywood.

"É um ambiente de descobrimento e há muita emoção", ressaltou Caroline sobre o clima presente no festival.

"Aqui se encontra toda a gente da indústria dos Estados Unidos, mais compradores, distribuidores e caça-talentos de todas as partes do mundo", concluiu.

Segredo da tribo

O Brasil participa do festival com o documentário "Segredos da Tribo", de José Padilha, o mesmo diretor do documentário "Ônibus 174" e da ficção "Tropa de Elite".

Image caption Ações de duas escolas rivais de antropologia são retratadas.

Em 2008, "Tropa de Elite" conquistou o Urso de Ouro de melhor filme no Festival de Berlim.

"Segredos da Tribo" trata de polêmicos estudos antropológicos em torno de índios yanomami na Venezuela.

Em emtrevista à BBC, Padilha disse que optou por concentrar-se na discórdia pessoal entre os antropólogos e perguntar-se ao longo do documentário se esta disciplina pode ser considerada uma ciência genuína.

"Seus conflitos geraram uma guerra pessoal entre antropólogos, com as expressões mais baixas e indecentes, não um debate sobre quem são os yanomami", afirmou Padilha.

"O segredo não se refere ao segredo dos yanomami e sim ao segredo dos antropólogos", completou o diretor.

América Latina

Image caption "Contracorriente" encabeça a oferta latino-americana.

Outro filme latino-americano que pode ter sucesso em Sundance é o peruano "Contracorriente", ficção que trata de uma relação homossexual secreta em uma aldeia de pescadores.

"Contracorriente" concorre ao prêmio de cinema dramático internacional, uma das quatro competições existentes no festival.

Ano passado, o longa peruano "La Teta Assustada", de Claudia Llosa, foi premiado com o Urso de Ouro em Berlim.

Notícias relacionadas

Links de internet relacionados

A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos de internet