(Foto: Reprodução)
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Voando com os cisnes: Em parapente, pesquisadora seguirá rota migratória

Todos os anos, milhares de cisnes deixam o Ártico russo e voam por mais de 7 mil km até chegar ao Reino Unido.

Na próxima primavera (outono no Hemisfério Norte), porém, eles devem uma companhia inusitada: a pesquisadora Sacha Dench, que já foi campeã de mergulho livre, irá acompanhá-los com seu parapente.

O objetivo dela é voar o mais próximo possível das aves. Todas as noites, Dench pousará com elas para observar seus hábitos e os perigos que correm durante a jornada.

A pesquisadora espera que a experiência lhe permita explicar por que a população da espécie cisne-pequeno vem diminuindo paulatinamente – estima-se que o número de animais tenha caído pela metade nos últimos 20 anos.

O principal objetivo da expedição, porém, será mostrar o "incrível voo" que esses pássaros fazem, diz.

Na primeira parte da viagem, ela seguirá os animais pela tundra russa, área de clima severo e berço de ursos polares e lobos.

Além disso, a região é isolada. No primeiro 1 mil km, não há estradas, o que significa que não haverá suporte à pesquisadora em terra.

Dench irá se basear na previsão no tempo e contar com a ajuda de criadores nômades de renas.

Ela irá dormir em cabanas feitas por caçadores. Ao longo do trajeto, aproveitará para conhecer comunidades que habitam a rota dos cisnes em 11 países.

A pesquisadora recebeu votos de boa sorte de uma parente distante, a atriz britânica Judi Dench:

"Voar com os cisnes é algo absolutamente fascinante, repleto de aventura e paixão. Eu orgulhosamente apoio."