'Vendi rifa e trufa para viajar aos EUA e trazer ouro ao Brasil', diz campeã de jiu-jítsu da Cidade de Deus
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

'Vendi rifa e trufa para viajar aos EUA e trazer ouro ao Brasil', diz campeã de jiu-jítsu da Cidade de Deus

A vitória no campeonato mundial da IBJJF (International Brazilian Jiu-Jitsu Federation), em junho deste ano na Califórnia (EUA), não exigiu apenas golpes precisos da carioca Gabi Pessanha, de 15 anos.

Ela teve de vender rifas e trufas para custear a ida ao evento, que reúne alguns dos melhores lutadores de jiu-jitsu do mundo.

"Para o Mundial, vendi rifas e trufas", diz ela, lembrando ainda de iniciativas semelhantes para custear outras viagens e também do apoio financeiro que recebeu do pai e da igreja que frequenta.

Nascida na Cidade de Deus, na zona oeste do Rio, onde mora até hoje, Gabi foi atraída para o jiu-jítsu por um projeto social.

"Me chamaram para conhecer, mas eu fiquei um pouco receosa inicialmente. Não queria saber desse esporte em que todo mundo se agarra", lembra.

Aos poucos, sua visão mudou – e, após cinco anos no esporte, ela acumula medalhas no Brasil e fora.

"Acabei servindo de exemplo. Especialmente para as crianças. Ela pensam: 'Não vou me espelhar em uma pessoa ruim, que rouba. Vou me espelhar nessa menina'", conta.

Gabi diz também querer romper com estereótipos.

"É muito bom viajar; conhecer outro país. Até mesmo para mostrar para outras pessoas que a Cidade de Deus não é só bandido, não é só briga, palavrão", diz.

"Aqui tem muitas pessoas que correm atrás de seus sonhos. Eu sou uma delas; a Rafaela (Silva, que ganhou medalha de ouro no judô na Olimpíada do Rio) mostrou isso. Há muitos outros talentos aqui na Cidade de Deus. E muitos outros que irão aparecer também."

Ela conta ainda que o coordenador do projeto que oferece jiu-jítsu gratuitamente no bairro cobra resultados na escola.

"Ele lê os cadernos e diz que temos que respeitar os professores. Se você não é um bom aluno, não será um bom lutador", destaca.

"Nunca desista dos seus sonhos. Eu não desisti do meu", conclui.