Por que o WhatsApp está dando o seu telefone para o Facebook

Whatsapp Direito de imagem AP
Image caption A partir de agora o Whatsapp compartilhará seu número com o Facebook. O que significa essa medida e que fazer caso queira evitá-la?

O Whatsapp anunciou que irá compartilhar os números de telefone de seus usuários com o Facebook e que permitirá o envio de mensagens por empresas.

É a primeira vez que a empresa altera sua política de privacidade desde que foi comprada pelo Facebook em 2014.

Mas quais são as consequências da medida?

Em primeiro lugar, você poderá passar a receber sugestões de contatos "mais relevantes".

Mas também mais anúncios.

Não é improvável, afirmam alguns analistas, que usuários se sintam "traídos" pela mudança.

Direito de imagem Getty Images
Image caption O Facebook comprou o WhatsApp em 2014

"Quando o Whatsapp foi comprado pelo Facebook, garantiu que permaneceria como um serviço independente", afirma Pamela Clark-Diskson, da consultoria em tecnologia Ovum.

"Agora está dando os números de telefone ao Facebook. Alguns usuários poderiam dizer que se trata de abuso de confiança. De certa maneira, a empresa voltou atrás sobre algo que havia dito que não faria."

Amizades "relevantes"

A justificativa do Whatsapp para sua nova política de privacidade é que compartilhar telefones de usuários com o Facebook servirá para bloquear mensagens indesejadas (spam) e controlar abusos.

A empresa disse ainda que oferecerá "melhores sugestões de amizade e propagandas mais relevantes".

Isso porque o Facebook, ao dispor desses dados, será capaz de aproximar pessoas que já trocaram números de telefone mas ainda não são "amigos" na rede social.

Direito de imagem Getty Images
Image caption Whatsapp diz que com a nova medida usuários passarão a receber solicitações de amizade "relevantes"

O Whatsapp também compartilhará dados sobre últimos acessos ao serviço.

Mas garantiu que não disponibilizará o conteúdo de mensagens enviadas,que é cifrado.

"Suas mensagens criptopgrafadas continuam sendo privadas e ninguém mais poderá lê-las. Nem o Whatsapp, nem o Facebook nem ninguém mais", afirmou a empresa em seu blog.

Publicidade

O Whatsapp também anunciou que seus usuários poderão optar por não compartilhar dados com o Facebook para fins de receber publicidade. Para isso é preciso seguir alguns passos simples.


Image caption Instruções (em espanhol na imagem) sobre a nova política de privacidade do Whatsapp
  • Quando o Whatsapp pedir que aceite os termos e condições do serviço atualizado, clique na opção "ler" para expandir o texto completo.
  • Uma caixa de verificaçãona parte inferior permitirá evitar que seus dados sejam compartilhados para melhorar sua experiência com anúncios no Facebook

No entanto, a empresa disse que, mesmo no caso em que os usuários do Whatsapp optem por não ter seu número de telefone compartilhado com o Facebook, "a família de empresas do Facebook (que inclui outros serviços, incluindo Instagram) ainda receberá e usará essa informação para outras finalidades".

Mensagens comerciais

A nova política do Whatsapp abre caminho a empresas interessadas em enviar mensagens aos usuários.

Segundo a empresa, anunciantes que transmitem mensagens por meio de SMS — como alertas de companhias aéreas ou atualizações sobre sua conta bancária— poderão fazê-lo por meio do aplicativo.

Mas além de informação sobre datas ou notificações de entrega, o Whastapp também autorizará mensagens de marketing.

"As mensagens que você poderá receber com conteúdo comercial podem incluir uma oferta ou algo que possa ser de seu interesse", explicou a companhia.

Direito de imagem Getty Images
Image caption A nova política do Whatsapp abre caminho a empresas interessadas em enviar mensagens comerciais aos usuários

Para a consultora Clark-Dickson, usuários poderão concordar com o envio caso as mensagens sejam úteis.

"Mas o Whatsapp deve ser cuidadoso. Muitas pessoas não gostam de receber publicidade."

De qualquer maneira, a empresa disse que irá testar as novas funções nos próximos meses, mas prometeu evitar a "experiência spam" e impedir que empresas inundem seus usuários com anúncios.

Tópicos relacionados

Notícias relacionadas