A americana que nunca sente fome - e como sua doença pode ajudar na busca de 'cura' da obesidade
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

A americana que nunca sente fome - e como sua doença pode ajudar na busca por 'cura' da obesidade

Abby Solomon, de 21 anos, sofre desde o nascimento de uma doença rara que a impede de sentir fome.

Trata-se da síndrome progeroide neonatal, que basicamente inibe a produção do hormônio conhecido como asprosin, responsável por estimular o apetite.

Sendo assim, a jovem nunca quer se alimentar. Mas está sempre comendo - ela conta ter de andar com barrinhas de cereal ou qualquer alimento na bolsa para não correr o risco de desmaiar por falta de glicose.

Abby ingere em média menos da metade da quantidade de calorias necessárias para uma pessoa de sua idade.

Mas bastam algumas mordidas - ou garfadas - para ela se sentir satisfeita e não conseguir comer mais nada.

A mutação genética que causa a doença também faz com que Abby envelheça de maneira precoce - ela aparenta ter muito mais que seus 21 anos.

A jovem é um dos raros casos de pessoas que conseguiram sobreviver na idade adulta com essa síndrome.

Apesar das terríveis consequências para ela, sua condição também traz uma esperança para os cientistas: compreender essa mutação pode ser útil na busca por um tratamento mais eficiente contra a obesidade.

Tópicos relacionados