Primeiro menino a receber transplante duplo de mãos supera rejeições e já joga beisebol e come sem ajuda
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Primeiro menino a receber transplante duplo de mãos supera rejeições e já joga beisebol

Um menino americano que fez história ao se tornar a primeira criança a receber um transplante duplo de mãos agora já consegue segurar um taco de beisebol.

Zion Harvey, agora com 10 anos, “ganhou” o par de mãos há dois anos e seus médicos dizem estar impressionados com o progresso. Eles acabaram de publicar um artigo sobre a sua história na publicação médica 'The Lancet Child and Adolescent Health Journal'.

A criança agora consegue escrever, alimentar-se e se vestir sozinho, além de jogar beisebol. Mas o processo pós-operatório não foi fácil.

Houve momentos em que o corpo parecia rejeitar as novas mãos - mas isso foi resolvido após mudanças na sua medicação.

Os médicos se surpreenderam, entretanto, com a resposta do cérebro de Zion "apesar da ausência de mãos durante o período de desenvolvimento motor entre as idades de dois e oito anos".

No ano passado, o cirurgião-chefe Scott Levin disse que "o cérebro está comunicando com as mãos, está ordenando que elas se mexam, e elas se mexem, o que, por si só, já é extraordinário".

Hoje, segundo Sandra Amaral, membro da equipe que cuida dele no Hospital Infantil da Filadélfia, o garoto "é capaz de segurar um taco com muita coordenação e consegue escrever seu nome com clareza”.

“Sua sensibilidade continua evoluindo, é incrível. Agora ele consegue fazer carinho na mãe e a sentir”, completou.

Zion teve sepse, uma infecção generalizada que pode levar à morte. Ele teve as mãos e as pernas abaixo do joelho amputadas e falência nos rins.

Aos quatro anos de idade e depois de dois anos de diálise, ele recebeu um transplante de rim doado por sua mãe, Pattie Ray. Quatro anos mais tarde, o menino de Baltimore ganhou suas mãos novas.

"Eu não fui sempre assim. Quando eu tinha dois anos, tive que tirar minhas duas mãos porque estava doente", conta.

Zion teve de se adaptar à infância sem as mãos e aprendeu a comer e até a jogar videogame sem precisar de ajuda. Mas o menino optou pela cirurgia porque queria muito um dia poder segurar sua irmã menor. Nas pernas, ele usa próteses.

Foi assim que, aos 8 anos, ele se tornou a pessoa mais jovem a receber um transplante duplo de mãos. Cerca de 40 médicos participaram da operação no Hospital das Crianças na Filadélfia - o procedimento durou mais de 10 horas e foi considerado bem-sucedido.

Os cirurgiões garantiram, logo após a operação, que Zion teria agora "tudo para crescer como uma criança normal", e que as mãos acompanhariam seu crescimento.

"Me sinto muito feliz com minhas novas mãos e não me sinto diferente das outras crianças", afirma Zion. "Agora eu consigo lançar a bola mais longe do que quando não tinha as mãos."

Tópicos relacionados