O que é a fibromialgia, doença crônica que fez Lady Gaga cancelar show no Rock in Rio

Lady Gaga Direito de imagem Getty Images
Image caption Lady falou pela primeira vez sobre dores crônicas em 2013, mas não tinha revelado causa

A cantora Lady Gaga deixou seus fãs inconsolados depois de cancelar sua apresentação no Rock in Rio, prevista para esta sexta-feira. O motivo do cancelamento é uma condição física: um dia antes do anúncio, ela revelara que sofre de fibromialgia, uma doença que causa dor e sensibilidade no corpo todo.

A assessoria da artista informou que ela não poderá se apresentar no Rock in Rio porque está sofrendo de dor física severa e está sob cuidados médicos.

Lady Gaga falou sobre o assunto pela primeira vez no Twitter esta semana, acrescentando que sua relação com a doença é mostrada no seu último documentário, Gaga: Five Foot Two, que deve chegar ao Netflix em 22 de setembro.

A primeira vez que ela falou sobre viver com dor crônica foi em 2013, mas até agora ela ainda não havia revelado a causa.

"Quero ajudar a aumentar a conscientização sobre esse tema e conectar as pessoas que tem fibromialgia", disse a cantora no Twitter. O tuíte fez várias pessoas compartilharem suas histórias sobre a doença nas redes sociais.

Mas o que é, afinal, a fibromialgia?

Dor sem causa e sem cura

Muitos pacientes com a doença levam anos até receber um diagnóstico, já que os resultados dos exames médicos parecem estar normais, e os médicos não sabem explicar de onde vem a dor.

Não se sabe qual é a causa exata da fibromialgia, mas se sabe que afeta sete vezes mais mulheres do que homens.

Além da dor, quem sofre da doença também pode sentir rigidez muscular, fatiga, maior sensibilidade, dores de cabeça e dificuldades para dormir, segundo o serviço britânico de saúde pública (NHS, na sigla em inglês).

Outros possíveis sintomas são problemas de memória e de concentração, bem como síndrome do intestino irritado, uma condição que provoca dor de estômago e inchaço.

Direito de imagem Getty Images
Image caption Lady Gaga durante um show em 2017 no festival de música e artes Coachella Valley, na Califórnia.

Segundo o NHS, acredita-se que essa doença está relacionada a níveis anormais de certas substâncias químicas no cérebro e com mudanças na forma como o sistema nervoso central - que inclui o cérebro, a medula espinhal e os nervos - processa a informação sobre a dor.

Também há sugestões de que algumas pessoas podem ter uma maior predisposição a ter fibromialgia por causa de sua herança genética. Os genes poderiam fazer uma pessoa reagir intensamente a coisas que outras pessoas não achariam tão dolorido.

A condição geralmente aparece entre as idades de 30 e 50 anos, mas pode surgir em qualquer momento da vida, inclusive em crianças e idosos.

Não se sabe exatamente quantas pessoas são afetadas porque a fibromialgia pode ser uma condição difícil de diagnosticar. Não há um exame específico para a condição e os sintomas podem ser parecidos com uma série de outros problemas de saúde.

Por outro lado, em muitos casos a doença parece ser desencadeada em uma situação de estresse físico ou emocional, como uma lesão, acidente ou operação, assim como dar à luz, um término ou a perda de um ente querido.

Ainda que atualmente não exista uma cura, há tratamentos que podem aliviar alguns dos sintomas para melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

No passado, Lady Gaga compartilhou através das redes sociais alguns dos truques que usa para suportar a dor crônica, ainda que a própria artista tenha recomendado consultar um médico antes de adotar qualquer método.

O NHS afirma que os tratamentos para os sintomas da fibromialgia podem ser uma combinação de medicamentos, como antidepressivos e analgésicos, terapias cognitivo-comportamentais e mudanças no estilo de vida, como exercícios físicos e técnicas de relaxamento.

Muitos pacientes com fibromialgia sentem que fazer exercício lhes trouxe muitos benefícios em particular, entre eles a redução da dor.

Tópicos relacionados

Notícias relacionadas