'Como você pode estar triste no momento mais feliz de sua vida?': o estigma da depressão pós-parto
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

'Como você pode estar triste no momento mais feliz de sua vida?'

'Nenhuma mulher deveria passar por isso sozinha, não é vergonha pedir ajuda', diz a professora Elenise Costa, diagnosticada com depressão após o nascimento do filho.

"As pessoas me diziam: 'Como você pode estar triste no momento mais feliz de sua vida?'".

Por algum tempo, ela sofreu sozinha. Elenise diz que só conseguiu contar para o marido o que estava sentindo quando o filho tinha 15 dias. Cansada, preocupada, com taquicardia e tremores, ela tinha vergonha de admitir que não estava feliz com o começo da maternidade.

Resistir a procurar atendimento psicológico durante a gravidez ou após o parto não é incomum entre mulheres.

Um estudo em andamento da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) entrevistou 221 gestantes que fazem o pré-natal em uma unidade da Escola Nacional de Saúde Pública em Manguinhos, região carente do Rio. Entre as entrevistadas, 32% apresentaram sintomas depressivos.

No entanto, menos da metade dessas mulheres aceitou ser avaliada por um profissional especializado - 52% se negaram a receber ajuda.

Tópicos relacionados