Regime sírio é acusado de ataque que causa queimaduras químicas em Alepo
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Regime sírio é acusado de ataque que causa queimaduras químicas em Alepo

Ativistas na Síria acusam o governo do presidente Bashar al-Assad de ter usado bombas de gás cloro em um ataque à cidade de Alepo, no início da semana.

Imagens divulgadas em mídias sociais mostram crianças e adultos sendo atendidos em um hospital, sendo lavados com água e amparados com máscaras de oxigênio.

O gás cloro, que tem uso proibido por legislação internacional, causa queimaduras na pele e afeta também os pulmões.

O regime sírio já foi previamente acusado de ataques químicos, mas sempre negou seu uso. Em 2013, comprometeu-se a destruir seus estoques de armas químicas.

Segundo os ativistas, pelo menos 80 pessoas ficaram feridas no ataque.

Alepo, que já foi um polo comercial sírio, é hoje uma das cidades onde a guerra civil síria mostra sua faceta mais grave. Há, segundo a ONU, cerca de 300 mil pessoas retidas na cidade por conta dos conflitos.