Nokia desfaz suspense e confirma volta do celular 'tijolão' 17 anos após lançamento

Novo modelo do celular 3310 Direito de imagem Nokia
Image caption Depois de suspense, Nokia confirma relançamento do celular "tijolão"

A Nokia chegou a fazer suspense por algumas semanas, mas após uma grande pressão dos fãs nas redes sociais decidiu relançar o famoso telefone 3310, conhecido no Brasil como "tijolão". O aparelho foi anunciado quase 17 anos depois de sua estreia no mercado.

Muitos consideram o aparelho original icônico por causa de sua popularidade e robustez. Mais de 126 milhões de unidades desse modelo foram produzidas antes que ele fosse aposentado, em 2005.

A versão renovada será vendida sob licença da start-up finlandesa HMD Global, que já distribuiu outros modelos de smartphones Android da marca Nokia.

Um especialista ouvido pela BBC disse que essa foi uma "maneira fantástica" de relançar a marca de telefone da Nokia.

"O 3310 foi o primeiro celular a ser produzido em massa e há uma enorme nostalgia e carinho das pessoas por ele", comentou Ben Wood da consultoria de tecnologia CCS Insight.

O anúncio foi feito antes do início do congresso de tecnologia Mobile World Congress, em Barcelona. LG, Huawei e Lenovo estão entre outras empresas que também revelaram novos aparelhos.

"Se a HMD tivesse anunciado apenas dispositivos Android (no congresso), eles teriam apenas um pequeno espaço na imprensa. Então, o 3310 é um movimento muito inteligente e esperamos que ocorram vendas em volumes significativos", afirmou Wood.

A Nokia já não faz mais telefones, mas fabrica equipamentos de telecomunicações, como câmeras de realidade virtual e kits de saúde com a marca Withings.

Vida longa

O novo 3310 é um "telefone funcional" em vez de um smartphone, uma vez que fornece apenas recursos limitados de internet.

Ele depende da conectividade 2.5G - que tem velocidades de transmissão de dados mais lenta do que 3G ou 4G - e é alimentado pelo sistema operacional S30+, que permite a navegação na web, mas tem uma gama muito menor de aplicativos do que um Android ou iOS. Sua única câmera também é restrita a 2 megapixels.

Image caption Novo Nokia 3310 (à esq) ao lado de sua primeira versão, lançada há 17 anos

No entanto, a sua vantagem sobre os aparelhos mais poderosos é a vida útil de sua bateria. A fabricante diz que a carga do telefone com tela colorida pode durar até um mês em espera ou mais de 22 horas de conversação.

Jogo da cobrinha

Ele também vempré-instalado com a versão moderna do clássico jogo da cobrinha, que o tornou popular. Seu preço de lançamento é de US$ 51,75 ou cerca de R$ 160.

"É quase como uma desintoxicação digital ou um telefone de férias", afirmou o diretor executivo da HMD, Arto Nummela, à BBC.

Direito de imagem Nokia
Image caption Nokia anunciou outros três modelos de celular com Android na conferência, mas o 3310 roubou a cena

"Se você quiser se desligar numa determinada extensão, mas você ainda precisa de uma linha (móvel), essa é uma solução brilhante. Por que você não compra isso como um doce? Se você vê isso pendurado na prateleira no check-out em um pacote, então você pode comprá-lo apenas como um acessório", sugeriu.

Tópicos relacionados

Notícias relacionadas