Semáforo para pedestres 'de saias' gera polêmica na Austrália

Novo semáforo para pedestre em Melbourne Direito de imagem Gerry Cantwell
Image caption Melbourne, na Austrália, decidiu trocar parte dos semáforos para pedestres como parte de uma campanha sobre igualdade de gênero

Em muitas cidades do mundo, semáforos para pedestres têm, normalmente, representação masculina.

Mas Melbourne, na Austrália, decidiu mudar esse paradigma, como parte de uma campanha sobre igualdade de gênero.

Agora, dez semáforos para pedestres da cidade passaram a exibir uma versão feminina, de saias.

O objetivo, segundo ativistas por trás da iniciativa, é "reduzir o preconceito inconsciente".

Mas a empreitada gerou polêmica, dividindo opiniões dos moradores.

Os organizadores dizem esperar que, futuramente, os semáforos para pedestres exibam homens e mulheres em números iguais.

Direito de imagem @youneedabath
Image caption 'Nunca entendi muito porque 'um humano que não use um vestido' é necessariamente considerado um homem', critica usuário
Direito de imagem @ms_sara_p
Image caption 'Quem diz que se trata de um bonequinho verde? Talvez seja uma bonequinha verde usando calças todo o tempo', completa outro usuário
Direito de imagem @bortofdarkness
Image caption 'Agora que solucionamos o problema do semáforo de pedestres, podemos solucionar o problema que todas as mulheres enfrentam, homens segurando a porta para você', diz usuária.
Direito de imagem @SusanMaury
Image caption 'Como eu amo #Melbourne! Semáforos para pedestres femininos instalados para reduzir #preconceitoinconsciente #cutucada', rebate outra usuária
Direito de imagem @youjustsaycc
Image caption 'Esse dinheiro não seria melhor gasto na saúde mental dentro da comunidade LGBT?', escreve usuário
Direito de imagem @PatrickMcNallyhD
Image caption 'Os semáforos de #Melbourne mudaram de masculino para feminino, ah por favor nada melhor para fazer com o dinheiro do contribuinte? Sério?', critica usuário

"O preconceito inconsciente reforça estereótipo e influencia as decisões e atitudes do dia a dia", diz Martine Letts, CEO do Committee for Melboure, grupo responsável pela iniciativa.

Os sinais eletrônicos (com representação feminina) "chamam nossa atenção para esses problemas de uma maneira positiva e prática", acrescenta.

Mas nem todas as pessoas aprovaram a mudança, que faz parte de um experimento de 12 meses apoiado pelas autoridades de tráfego locais.

O prefeito de Melbourne, Robert Doyle, afirmou ao jornal australiano Herald Sun que apoia a medida, mas não a entende.

"Farei tudo o que puder para promover a igualdade de gênero, mas realmente precisamos disso?", questiona.

"Infelizmente, acredito que esse tipo de empreitada tende a ser alvo de zombaria", acrescenta.

Nas redes sociais, a medida também dividiu opiniões.

Alguns chegaram, inclusive, a destacar possíveis problemas sobre como os gêneros são representados.

Mas a parlamentar australiana Fiona Richardson disse que havia "muitas formas pequenas - mas significativamente simbólicas - pelas quais as mulheres são excluídas do espaço público".

"Essa é uma maneira maravilhosa para fazer o espaço público mais inclusivo para mulheres", afirmou ela, por meio de um comunicado.

Os semáforos foram instalados nesta terça-feira, às vésperas do Dia Internacional da Mulher, comemorado todos os anos no dia 8 de março.

Os responsáveis pela iniciativa afirmaram que o custo de futuras substituições podem ser minimizados ao coincidi-las com reposições já programadas de semáforos velhos.

Em 2015, a Austrália foi considerado o 36º país com menor desigualdade de gênero do mundo pelo Fórum Econômico Mundial.

Já o Brasil ocupa a 85ª posição na lista, que inclui 145 nações, atrás de Cuba, Nicarágua, Chile e Bolívia.

Tópicos relacionados

Notícias relacionadas