'Fui acordado por gritos de não pule!': testemunhas relatam inferno de incêndio em prédio de Londres

prédio em chamas Direito de imagem AFP/Natalie Oxford
Image caption Prédio tinha 120 apartamentos e incêndio começou por volta das 01h00 locais

Um prédio residencial de 24 andares ficou completamente destruído em um incêndio nesta madrugada em Londres. Os bombeiros, que passaram horas com várias equipes tentando conter as chamas, disseram acreditar que houve várias fatalidades.

Ao menos 17 mortes já foram confirmadas; outras 68 pessoas foram levadas com vida a hospitais da região, sendo 18 em estado crítico.

O incêndio começou pouco antes da 1h (21h em Brasília); as primeiras imagens mostraram as chamas subindo a partir do décimo andar e, mais tarde, o prédio inteiro parecia estar em chamas.

Nesta quinta-feira, a chefe dos Bombeiros de Londres, Dany Cotton, disse à ITV que suas equipes conseguiram chegar aos últimos andares para realizar buscas, mas que o local ainda é inseguro:

"Temos inspetores (para avaliar estrutura do prédio) e equipes de busca e resgate que vão descer, fazer uma avaliação e encontrar uma forma de tornar o prédio seguro para que possamos vasculhá-lo integralmente, fazer uma busca mais detalhada, minuciosa, para ver o que tem lá".

Ainda segundo a oficial, o trabalho para localizar e identificar as vítimas do edifício pode levar semanas.

Direito de imagem Google
Image caption Mapa da região

Testemunhas nos arredores do prédio, o Grenfell Tower, localizado em North Kensington, oeste da cidade - a 15 minutos a pé da famosa Portobello Road - relataram que viram luzes de lanternas e celulares piscando das janelas como um alerta de que moradores continuavam presos na estrutura.

"Vi pessoas piscando lanternas do último andar e obviamente elas não conseguiam sair", contou George Clarke, apresentador do Channel 4, à Radio 5 Live.

Direito de imagem Reuters
Image caption Equipes de resgate trabalharam por horas para controlar o incêndio

"Estou ficando coberto por cinzas, isto é o quão ruim está. Estou a cem metros de distância e completamente coberto de cinzas. É de cortar o coração", acrescentou.

As chamas foram controladas horas após o episódio, mas os bombeiros ainda combatiam alguns focos na manhã desta quarta-feira e buscavam vítimas.

Três horas após o início do fogo, a polícia informou que pessoas ainda eram evacuadas do prédio. Ainda não se sabe a causa do incêndio.

'Não Pule!'

Image caption Police say a number of people are being treated for a range of injuries

Paul Munakr, que vive no sétimo andar, conseguiu escapar. "Quando estava descendo as escadas, havia bombeiros, realmente incríveis que estavam subindo, para o fogo, tentando tirar o maior número possível de pessoas do prédio".

Ele foi alertado do incêndio não pelo alarme, mas por pessoas que gritavam da rua: "não pule, não pule!".

"Não sei ao certo se pessoas pularam do prédio para escapar do fogo, mas a principal coisa com este incidente é o fato de os alarmes de incêndio não terem tocado", contou à BBC.

Jody Martin testemunhou a cena: "Eu vi uma pessoa caindo, eu vi outra mulher segurando o bebê pela janela... ouvi gritos. Estava gritando para todo mundo descer e eles diziam 'Não podemos deixar nossas casas, a fumaça está muito forte nos corredores'".

Direito de imagem Reuters
Image caption Fumaça do incêndio pôde ser vista de longe

Andy Moore, repórter da BBC, relatou: "Vimos destroços do prédio, ouvimos explosões, ouvimos o barulho de vidro quebrando. A polícia foi aumentando a área do cordão de isolamento, empurrando para trás o público, com medo de que o prédio pudesse desmoronar".

Um porta-voz da brigada de incêndio de Londres, Dan Daly, disse que os bombeiros estavam "trabalhando em condições muito difíceis para controlar o fogo".

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo
Imagens mostram arranha-céu residencial sendo consumido pelo fogo em Londres

"Este é um incidente grande e muito sério e destacamos vários recursos e equipamentos especializados", acrescentou.

O prédio Grenfell Tower, de 24 andares e 120 apartamentos, foi construído em 1974. Ele faz parte da Lancaster Oeste Estate, um complexo de conjuntos habitacionais. Não se sabe ao certo quantas pessoas moravam no prédio - algumas estimativas falavam em 200, outras, em até 500.

Uma reforma de £ 10 milhões (R$ 42 milhões) foi finalizada ano passado - e o trabalho incluiu a instalação de um novo revestimento para a fachada e um sistema de aquecimento central.