Número de mortos em incêndio sobe para 79; polícia londrina mostra imagens de devastação e diz que buscas são 'árduas'

destruição incêndio Direito de imagem METROPOLITAN POLICE
Image caption Imagem de dentro do prédio atingido por incêndio é divulgada pela polícia

A Polícia de Londres subiu para 79 o número de pessoas mortas ou "desaparecidas e provavelmente mortas" no incêndio que atingiu um prédio de 24 andares em North Kensington, no oeste da capital londrina.

Um porta-voz da polícia, Stuart Cundy, disse, entretanto, que o número pode subir.

"Infelizmente, muitas famílias perderam mais de um membro (no incidente). É um momento incrivelmente angustiante para todos eles. Por isso nossa prioridade é identificar as pessoas o mais rápido que pudermos", disse ele, destacando que os nomes só serão divulgadas após sua confirmação oficial.

Direito de imagem AFP
Image caption Número de mortos em incêndio em Londres chega a 79, segundo informações da polícia

Segundo o comandante, as buscas continuam pelas próximas semanas no Grenfell Tower. No fim de semana, a polícia divulgou fotos tiradas do interior dos apartamentos destruídos. "As buscas são árduas, e é difícil descrever a devastação", continuou Cundy.

Também seguem as investigações sobre as causas do incêndio que começou na madrugada do dia 13 de junho. Cundy diz que os investigadores vêm ouvindo vários especialistas para encontrar respostas sobre a construção, reforma e manutenção do prédio. E acrescentou que ainda é "errado especular sobre o que pode ter acontecido".

No fim de semana, a primeira-ministra britânica, Theresa May, admitiu que o apoio às famílias nas "primeiras horas" do incêndio não foi "bom o suficiente". Ela deu a declaração após encontro com sobreviventes e voluntários envolvidos nos esforços para ajudá-los na residência oficial da premiê em Downing Street.

O governo foi duramente criticado por moradores da Grenfell Tower pelo desamparo e a falta de apoio que enfrentaram após a tragédia.

Direito de imagem Reuters
Image caption Vítimas do incêndio na Grenfell Tower, bombeiros e voluntários se encontraram com a primeira-ministra em Downing Street

May reconheceu que "o apoio no espaço para as famílias que precisavam de ajuda ou informações básicas nas primeiras horas após esse terrível desastre não foi suficientemente bom", e confirmou que o governo apontará nos próximos dias a pessoa que conduzirá o inquérito público sobre o incêndio.

O governo destinou 5 milhões de libras esterlinas (o equivalente a R$ 21 milhões) para a compra de roupas, alimentos e suprimentos para as vítimas.

Na última atualização policial, o comandante Cundy fez um novo apelo para que as pessoas que conseguiram escapar do prédio com vida avisassem as autoridades que estão seguras.

Direito de imagem METROPOLITAN POLICE
Image caption Bombeiros continuam trabalho de buscas no Grenfell Tower

A investigação até agora:

  • Seis vítimas foram provisoriamente identificadas pela polícia
  • Três delas foram reveladas até agora, incluindo o refugiado sírio Mohammed Alhajali, 23, Isaac Shawo, de cinco anos de idade, e o artista Khadija Saye
  • Dos mortos, um morreu no hospital
  • Dezesseis pessoas permanecem no hospital, 10 em cuidados intensivos
  • Uma investigação criminal foi instaurada
  • Os conselhos do Reino Unido estão realizando revisões urgentes nos blocos da torre, diz a Associação de Governo Local
  • Um apelo da Cruz Vermelha britânica foi lançado para arrecadar dinheiro para as vítimas da tragédia
  • Um número local de emergência foi lançado para pessoas preocupadas com amigos e familiares (0800 0961 233)

O incêndio atingiu o bloco residencial de 24 andares, que continha 120 apartamentos de um e dois dormitórios, pouco antes da 1h (horário de Londres) na quarta-feira.

As chamas atingiram todos os andares do prédio e foram necessários mais de 200 bombeiros trabalhando por 24 horas para controlá-las.

Notícias relacionadas