‘Não quero que atirem em você’: menina de 4 anos tenta acalmar mãe após morte de namorado pela polícia
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

‘Não quero que você seja baleada’: menina de 4 anos tenta acalmar mãe após namorado ser morto pela polícia

Imagens do caso Philando Castile - homem negro que foi morto por um policial nos Estados Unidos no ano passado - recém-divulgadas por autoridades americanas mostram uma criança de quatro anos tentando consolar a própria mãe após as duas testemunharem o disparo que matou Castile em seu carro.

Ele foi baleado quando supostamente pegava sua carteira de motorista, após ter sido parado na estrada por um policial, em St Paul, Minnesota.

O caso teve grande notoriedade nos Estados Unidos por causa de uma transmissão em vídeo ao vivo no Facebook feita pela namorada de Castile, Diamond Reynolds, após os tiros. O incidente provocou também uma grande discussão no país sobre a forma como a polícia trata os negros.

As imagens inéditas mostram a filha de Reynolds, de quatro anos, saindo do carro de Castile após o disparo e o diálogo de mãe e filha dentro do carro da polícia.

Diamond Reynolds chora e grita, e a criança tenta acalmá-la.

"Está tudo bem, estou aqui com você", diz a menina para a mãe.

“Mãe, por favor, pare de gritar e praguejar porque não quero que você seja baleada.”

Na semana passada, o policial que matou Castile foi inocentado de todas as acusações. Jeronimo Yanez argumentava que atirou após o motorista informar que tinha uma arma em seu carro. No julgamento, ele disse que, ao ver Castile se mexendo dentro do veículo, imaginou que seria baleado. Um júri de doze pessoas considerou que a preocupação de Yanez justificou sua ação.

Castile tinha o porte da arma e havia sido orientado a informar policiais disso para garantir sua segurança. Segundo Reynolds, ao se mover, o namorado procurava a carteira.

Mesmo após sua absolvição, Yanez foi demitido de seu cargo.