Por que o vídeo de uma lição de matemática revoltou a Índia

Números em quadro negro Direito de imagem iStock
Image caption Pais de classe média indianos veem educação dos filhos com rigor, por ser considerada chave para ascensão social

Um vídeo de uma garota de 3 anos recebendo uma lição de matemática em casa chocou indianos depois de circular pelo país via WhatsApp.

Nas imagens, a professora, cujo rosto não está visível, está ensinando a menina a reconhecer os números de um a cinco.

Chorando, a menina implora para que a professora não lhe castigue e "ensine com um pouco de amor". A professora parece ser um membro da família - a mãe ou tia da criança.

Em determinado momento, a menina fica frustrada e diz que está com dor de cabeça. Sob pressão, ela fica com raiva e continua a chorar enquanto repete os números.

No final do vídeo, ela leva uma bofetada no rosto, e continua a repetir a lição com os dentes cerrados.

Em muitos países, se um vídeo de pais tratando uma criança pequena dessa forma começasse a circular, o caso seria tratado como abuso e ela provavelmente seria retirada da custódia dos pais.

Aplicar castigos físicos crianças e tratá-las com crueldade é crime em muitas partes do mundo - inclusive no Brasil - e a punição corporal na escolas também é proibida na Índia. Mas nas famílias, este ainda é considerado um método aceitável para disciplinar os filhos.

Muitos pais indianos de classe média dão extrema importância à educação dos filhos, que consideram a chave para a ascensão social. Por isso, as crianças são cobradas desde cedo.

Direito de imagem iStock
Image caption Aplicar castigos físicos em crianças é proibido não só aos familiares como também na escola na Índia

Jogadores revoltados

Na Índia, onde o WhatsApp tem 200 milhões de usuários ativos por mês, o vídeo da menina se espalhou em questão de horas e viralizou nas redes sociais. E alguns dos mais revoltados foram os jogadores da seleção de críquete, o esporte nacional indiano.

O capitão da equipe, Virat Kohli, e muitos de seus colegas, protestaram contra o tratamento dado à menina no Facebook, no Twitter e no Instagram.

"(O pior é) O fato de que a dor e a raiva desta criança estão sendo ignorados e que o ego da pessoa que está tentando ensiná-la é tão enorme que a compaixão saiu pela janela. Isso é muito chocante e triste. Crianças não conseguem aprender sendo intimidadas", escreveu.

Outro jogador, Shikhar Dhawan, afirmou que o vídeo era um dos "mais perturbadores" que ele já viu. Em resposta aos atletas, usuários indianos das redes sociais expressaram preocupação com o bem-estar da menina.

"Será que alguém na Índia pode ajudar a salvar essa meninina dessa mãe lunática? A imprensa ou a polícia? Estou devastada", disse Sudhi Pooniyil no Twitter.

Família famosa

Durante alguns dias após a viralização do vídeo, a identidade da garotinha permaneceu não revelada. Mas, na última quarta-feira, a imprensa indiana noticiou que a menina é sobrinha do cantor e compositor de Bollywood Toshi Sabri, conhecido em todo o país.

Em uma entrevista ao jornal The Hindustan Times, Sabri disse que o vídeo foi feito para o grupo de WhatsApp da família e defendeu o tratamento dado à menina.

Direito de imagem iStock
Image caption Psiquiatra afirma que focar nas limitações da criança não vai ajudá-la a aprender melhor ou mais rápido

"Virat Kohli e Shikhar Dhawan (dois dos jogadores de críquete que se manifestaram) não sabem nada sobre nós. Nós conhecemos a criança", afirmou.

"A natureza dela é sair para brincar minutos depois de receber uma bronca. Mas, por causa da natureza dela, ela não estuda se não pressionarmos."

Ele disse que o vídeo foi feito pela mãe da criança, que queria mostrar a seu irmão e a seu marido que a menina estava sendo teimosa. "Mas nós gostamos muito dela", disse Sabri.

O psiquiatra indiano Achal Bhagat disse não poder comentar esse caso em particular, porque não examinou a menina, mas afirma que uma criança tratada desta forma pode ser "permanentemente prejudicada".

"Isso pode fazer com que a criança passe a não confiar nas pessoas, porque aqueles que deveriam amá-la a estão tratando mal. Ela pode ficar cautelosa demais ou impulsiva demais nos relacionamentos que tiver ao longo da vida. Ela também pode desenvolver um comportamento autodestrutivo."

O médico diz ainda que focar nas limitações da criança não vai ajudá-la a aprender. "A criança está pedindo ajuda. Ela precisa imediatamwnte de ajuda e seus pais também", afirma.

Depois da repercussão do vídeo, Toshi Sabri e seu irmão, o também cantor e compositor Sharib Sabri, divulgaram um vídeo em que pedem o fim da polêmica. Segundo eles, estranhos têm tirado fotos da menina brincando em parques, sem autorização.

"Ela não sabe o que está acontecendo com ela. Por favor deixem-na em paz, ela só tem 3 anos", pediu.

Tópicos relacionados