Novo terremoto no México deixa ao menos 216 mortos no aniversário do devastador tremor de 1985

Terremoto danificou dezenas de prédios na Cidade do México Direito de imagem AFP
Image caption Terremoto danificou dezenas de prédios na Cidade do México

Ao menos 216 pessoas morreram vítimas de um terremoto de magnitude 7,1 que sacudiu a região central do México nesta terça-feira.

As autoridades mexicanas haviam contabilizado 248 óbitos, mas revisaram o número de vítimas.

O tremor foi registrado às 13h14 no horário local (15h14 em Brasília) com epicentro nos arredores da cidade de Axochiapan, no Estado de Morelos.

Só na capital, Cidade do México, foram registradas 86 mortes; no estado de Puebla, foram registrados 43 óbitos, e no estado de Morelos, 71. Pelo menos 27 prédios desabaram e o número de mortos deve aumentar.

O chefe da Defesa Civil do governo mexicano, Luis Felipe Puente, tem autalizado o número de vítimas no Twitter.

O tremor coincidiu com o 32º aniversário do devastador terremoto que deixou milhares de mortos em 1985 - não se sabe o número exato de óbitos na tragédia, variando de 3.692 segundo fontes oficiais e 10 mil de acordo com a Cruz Vermelha do México.

Veículos de imprensa e usuários das redes sociais publicaram imagens de prédios severamente afetados na Cidade do México, algumas inclusive registrando o exato momento da queda - o terremoto desta terça-feira foi sentido na capital com muito mais força do que o tremor de magnitude 8,2 que deixou 98 mortos no sul do país no último dia 7.

Direito de imagem AFP
Image caption Cidade do México sentiu com força o terremoto

Veículos locais indicaram que a escola Enrique Rebsamen, no sul da Cidade do México, foi abaixo e deixou mortos. O jornal El Universal relata que pelo menos oito crianças e uma professora morreram, e outros 11 estudantes estariam soterrados.

Testemunhas disseram à BBC Mundo, o serviço em espanhol da BBC, que viram sérios danos a edificações, além de pedaços de vidros e de fiação caindo.

Roberto Rentería, que estava na região central da cidade, contou que "o ruído dos edifícios rangendo foi bastante impressionante".

"O alarme sísmico tocou depois. Fui para a rua para me salvar e vi vários pedaços de vidro caindo e as fachadas sofrendo muitos danos. A rua ficou cheia de poeira e tem cheiro muito forte de gás. Há vários edifícios com risco de cair", acrescentou.

Direito de imagem AFP
Image caption Moradores da Cidade do México viram a queda de prédios, fios e pedaços de vidro

Harbin Preciado, de 14 anos, disse que, graças à uma simulação para situações de tremor realizada nesta mesma terça-feira, eles e seus colegas da escola sabiam exatamente o que fazer.

"Tínhamos muita clareza: sair em direção a uma área segura da forma mais tranquila possível, sem correr ou empurrar. Mas vimos um transformador de luz explodir e muitos vidros caindo", lembrou.

Desespero

Por outro lado, Leticia Rentería, mãe do adolescente, afirmou que viu "caos total" na rua, com "gente caminhando sem rumo".

"Muitos estão chorando. O trânsito está retido", contou.

O presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, disse no Twitter que convocou o Comitê Nacional de Emergências para "avaliar a situação".

O aeroporto internacional Benito Juárez foi fechado, assim como aconteceu com quatro das 12 linhas de metrô da capital.

Os bombeiros da Cidade do México reportaram ao menos dois incêndios, e as autoridades pediram que os moradores verifiquem danos estruturais em suas casas.

Tópicos relacionados