Criança de 2 anos se mata com arma da avó; EUA tiveram 202 casos do tipo neste ano

Direito de imagem AP
Image caption Patrice Price foi baleada pelo filho de dois anos enquanto dirigia nos EUA

Uma menina de 4 anos se tornou a vítima mais recente de armas de fogo nos Estados Unidos, após se matar com o revólver da avó.

A arma foi encontrada pela criança debaixo do travesseiro da avó, que estava no andar inferior de sua casa em Detroit.

Outras duas crianças - de 1 e 3 anos de idade - também estavam no andar de cima, mas não foram feridas.

Em abril, um menino americano de dois anos matou acidentalmente sua mãe após encontrar uma arma no carro em que estavam.

O caso ocorreu na cidade de Milwaukee, no Estado de Wisconsin. A mulher, Patrice Price, dirigia um veículo de seu namorado, um segurança particular que havia deixado sua arma no carro, disse o pai da vítima, Andre.

Price recebeu um tiro pelas costas enquanto dirigia numa rodovia local numa manhã de terça-feira. A mãe da vítima e seu outro filho, de um ano, também estavam no carro.

O pai da mulher afirmou que ela também deixou uma filha mais velha, e descreveu a filha como "trabalhadora".

"Agora não a tenho mais. Tenho um nó no peito. Nem me deixaram ver minha filha. Queria abraçá-la uma última vez", afirmou Andre Price à estação local de TV WISN.

Em março de 2016, um menino de quatro anos baleou sua mãe no Estado da Flórida, em circunstâncias semelhantes.

Uma arma havia escorregado do banco da frente do carro e ele conseguiu se livrar do cinto de segurança para pegá-la. A mãe sobreviveu ao acidente.

Dos 18.330 incidentes registrados pelo Gun Violence Archive desde o início do ano, 202 crianças com menos de 11 anos foram feridas ou mortas.

Segundo a organização americana Everytown for Gun Safety Support Fund (Fundo de Apoio Todas as Cidades pela Segurança com Armas, em tradução livre), houve pelo menos 278 episódios nos EUA em 2015 quando uma pessoa com menos 17 anos matou ou feriu alguém com uma arma de forma não-intencional. Em 2016, já são ao menos 77 casos.

Ainda de acordo com a organização, que se dedica a estudar e tentar reduzir a violência armada nos EUA, mais de dois milhões de crianças no país vivem em casas onde armas não são guardadas de forma segura.

E entre 2004 e 2013, pelo menos 999 adolescentes e crianças com menos de 18 anos morreram nos EUA de feridas involuntárias causadas por armas, aponta relatório da ONG Law Center to Prevent Gun Violence (Centro Jurídico de Prevenção à Violência Armada).

O país tem registrado medidas para tentar enfrentar esse problema - 28 Estados e o distrito de Columbia possuem leis que, em diferentes medidas, criminalizam proprietários de armas que permitem o acesso de crianças a esses equipamentos.

Em 14 Estados, as leis são mais brandas e apenas responsabilizam os donos se ele permitir o acesso à arma por negligência ou de forma intencional. O depósito descuidado, por si só, não é alvo de sanções.

No outro extremo há três Estados e o distrito de Columbia, onde um proprietário de arma de fogo pode responder na Justiça apenas por proporcionar a chance de um adolescente ou criança acessar uma arma guardada de forma negligente.

Observação: Esta notícia foi publicada originalmente em abril, e atualizada em maio de 2016.

Tópicos relacionados