O jovem autista que vê o mundo por sons e toca Mozart de ouvido
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

O jovem autista que vê o mundo por sons e toca Mozart de ouvido

"Eu ouvia o metrô passando sobre os trilhos e imitava aquele som. Colocava ritmos sobre o tic-tac do relógio. Eu me fixo em um som e começo a compor."

É assim que o britânico Michael Fuller, de 17 anos, explica como começou sua relação incomum com a música.

Ele tem um grau leve de autismo e enxerga o mundo por meio dos sons.

Aos 11 anos, Michael era capaz de tocar Mozart de ouvido. Não demorou muito para que Michael, além de aprender piano, começasse a compor suas próprias peças.

Descrevendo seu processo como "fazer música com a mente", ele diz que criar sinfonias clássicas o "ajuda a se expressar pela música". "Isso me acalma."

Sua mãe, Nadine, descreve sua habilidade dizendo que é como se ele "baixasse" as músicas em sua cabeça.

Hoje, Michael estuda Artes Performáticas no Richmond College, no Reino Unido. E quer transformar sua paixão por música em uma bem sucedida carreira na música clássica.

"Posso escrever, compor, cantar. As pessoas podem se surpreender, mas eu sou ambicioso."