Polêmica tira do ar vídeo turístico com mãe solteira na Dinamarca

Player

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

O governo da Dinamarca tirou do YouTube um vídeo promovendo o turismo no país, depois de queixas de que a propaganda, na verdade, incentivava a promiscuidade.

O clipe de pouco menos de três minutos, protagonizado por uma atriz, mostra uma jovem loura tentando encontrar o pai de seu filho, August, com quem ela tinha mantido relações apenas uma vez.

A diretora da agência VisitDenmark, Dorte Kiilerich, disse que a intenção do filme era contar “a história bacana e doce de uma mulher”.

Mas o ministro da Economia dinamarquês, Lene Espersen, afirmou que “não se trata de uma imagem bem pensada do país”.

No vídeo, a mulher diz – em inglês – que está “tentando encontrar o pai de August”.

“Nós nos conhecemos uma noite, um ano e meio atrás, quando você estava de férias aqui na Dinamarca”, diz ela.

“Nós nos conhecemos... e decidimos tomar um drinque e, sim, é realmente constrangedor, mas é mais ou menos o que me lembro”, conta.

“Não me lembro de onde você é, ou qual o seu nome.”

Mau gosto

Par os críticos, o vídeo dá a entender que, além do turismo tradicional, a Dinamarca é um lugar para se ter relações sexuais sem preservativo com estranhos. Um jornal, o Ekstra Bladet, chamou a propaganda de “grotesca” e “um desperdício do dinheiro do contribuinte”.

O vídeo também atraiu uma série de comentários enraivecidos, com um usuário dizendo que era “uma forma de mau gosto e sem tato de atrair a atenção”.

A diretora da agência disse que sente por qualquer ofensa que o vídeo possa ter causado, mas que a intenção era contar “a história doce e bacana de uma adulta que vive em uma sociedade livre e aceita as consequências de seus atos”.

O vídeo recebeu mais de 800 mil visitas no YouTube e, apesar de a versão oficial ter sido retirada do ar, várias cópias continuam circulando pela internet.

A propaganda também inspirou uma série de paródias, com homens em vários países afirmando que eles não são homens-objeto e tentando encontrar a mãe de seus filhos.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.