Fóssil pode ser ancestral humano

Player

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

Uma equipe internacional de cientistas anunciou na revista Science a descoberta de uma criatura que poderia ser o mais antigo ancestral direto dos humanos.

Fósseis da espécie Ardipithecus ramidus foram encontrados na Etiópia em 1992, mas muitos anos de pesquisa foram necessários para que a importância da descoberta fosse confirmada.

O espécime mais importante é uma fêmea de 1,2 metro, com 4,4 milhões de anos de idade, que foi batizada de 'ardi'.

Ela era hábil na hora de subir em árvores, mas também caminhava como humanos modernos. Ela não tinha, no entanto, solas dos pés arqueadas, o que indica que ela não poderia andar ou correr longas distâncias.

"Este não é um fóssil comum. Não é um chimpanzé. Não é um humano. Ele nos mostra o que éramos no passado", disse um dos principais pesquisadores da equipe, Tim White, da Universidade da Califórnia.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.