Governo das Maldivas faz reunião subaquática

Player

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

O governo das Maldivas realizou, neste sábado, uma reunião ministeral no fundo do mar para alertar contra os perigos do aquecimento global.

O país localizado no Oceano Índico fica a poucos mais de dois metros acima do nível do mar e teme ser engolido pelas águas se o nível dos oceanos continuar subindo por causa do aquecimento global.

Durante o encontro subaquático, que teve participação do presidente Mohamed Nasheed, os doze ministros assinaram um documento pedindo cortes nas emissões globais de carbono.

Eles passaram meia hora a cinco metros de profundidade, cada um acompanhado de um mergulhador profissional. Para se comunicar, usaram quadros brancos e sinais.

O documento será levado para a Conferência de Mudanças Climáticas da ONU em dezembro, em Copenhague.

Depois da reunião, o presidente Nasheed disse que se a reunião de Copenhague não conseguir chegar a um acordo para substituir o Protocolo de Kyoto, que expira em 2012, o povo das Maldivas "vai morrer".

"Estamos agora tentando enviar nossa mensagem para que o mundo saiba o que está acontecendo e o que vai acontecer com as Maldivas se as mudanças climáticas não forem interrompidas", disse o presidente.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.