América Latina

Presidente do Equador é hospitalizado durante protestos

Player

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

Centenas de manifestantes foram às ruas da capital do Equador, Quito, nesta quinta-feira, participar de protestos que envolveram diretamente o presidente do país, Rafael Correa.

O protesto foi iniciado por policiais contrários a um decreto aprovado pelo congresso equatoriano que representaria mudanças nos seus salários.

Muitos equatorianos também foram às ruas, em demonstração de apoio ao presidente.

Falando para a multidão, Correa colocou uma máscara para se proteger de gás lacrimogênio.

O presidente foi hospitalizado e declarou que o país está sendo vítima de uma tentativa de golpe de Estado.

Pouco antes, falando a simpatizantes, Correa desafiou os responsáveis pelo protesto, dizendo que eles não deveriam se esconder se quisessem matar o presidente.

Essa é a primeira grande crise institucional que Rafael Correa enfrenta desde que assumiu o poder, em 2007, e deu início à chamada "Revolução Cidadã" no país.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.