Internet

Antigo abrigo nuclear é sede de servidores do WikiLeaks

Player

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Executar com Real Media Player OU Windows Media Player

O repórter da BBC Stephen Evans foi a Estocolmo, na Suécia, para conhecer a empresa que fornece os servidores usados pelo site Wikileaks.

O antigo abrigo nuclear fica em um dos bairros mais badalados da capital sueca, escavado em uma montanha.

Portas e paredes grossas protegem as entradas e, uma vez que o visitante passa por elas, encontra plantas tropicais que sobrevivem graças ao calor e umidade do local.

Dentro do abrigo ficam cerca de 8 mil servidores da Banhnhof, que atendem várias empresas.

O site Wikileaks tem apenas dois servidores, cercado por fileiras de muitos outros servidores da empresa.

O Wikileaks e seu fundador, Julian Assange, estão sob forte pressão internacional desde que começaram a divulgar mais de 250 mil mensagens diplomáticas secretas americanas.

Jon Karlung, fundador da Banhof, afirma que o Wikileaks pode ter escolhido sua empresa pelo histórico de transparência e liberdade de expressão da Suécia. Mas, deixa claro que o site tem um contrato normal e é tratado como um cliente normal.

Quando o repórter da BBC pergunta se existe o risco de alguém conseguir acesso aos servidores e apagar os arquivos, Karlung é sincero.

O fundador da Banhof afirma que seria ingênuo se não pensasse na possibilidade de um ataque virtual, já que estes ocorrem em toda a internet e não apenas no Wikileaks. E, por isso, a empresa separou o site de seus outros negócios.

O abrigo onde estão os servidores do Wikileaks parece uma mistura de ficção científica com filmes de espionagem, com os guardiões de informações tão polêmicas trabalhando sem parar para manter o site funcionando.

Tópicos relacionados

    BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

    Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.