Estados Unidos

Memphis enfrenta piores enchentes desde a década de 30

Player

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Tocar com outro programa

A cidade de Memphis, no sul dos Estados Unidos, enfrenta suas piores inundações desde a década de 30.

Alguns bairros estão totalmente debaixo d'água e a maioria das casas foi abandonada, depois de vários alertas dos serviços de emergência.

Centenas de pessoas foram para abrigos.

Alguns dos desabrigados relatam que a água, em suas casas, chega à altura do peito. Outros preferiram ignorar as ordens de evacuação e se arriscar nas casas inundadas.

As inundações foram causadas pela cheia do rio Mississippi, que aumentou sua vazão devido às chuvas de primavera e o derretimento da neve acumulada no inverno.

Em alguns lugares, a largura do rio chegou a ficar seis vezes maior do que o normal.

Enchente em Memphis

Em algumas áreas, rio Mississipi está seis vezes mais largo que o normal

Engenheiros do Exército americano trabalham nas barragens da cidade e voluntários ajudam a colocar sacos de areia para bloquear a água.

Atualmente Memphis está melhor preparada, depois de ter realizado uma série de obras após as enchentes nas décadas de 20 e 30.

John M. Barry, autor do livro Rising Tide, sobre as enchentes na região na década de 20, afirma que "esta é a segunda maior enchente na história, sendo que a maior ocorreu em 1927. E este será um teste para o sistema".

As águas ainda não chegaram a patrimônios culturais da cidade, como a mansão Graceland, de Elvis Presley.

Descendo o rio, outros Estados americanos se preparam para a enchente. Na Louisiana, presos no corredor da morte foram retirados de penitenciárias em regiões que podem ser inundadas.

Comportas foram abertas para que a água do Mississippi fosse para um lago, aliviando a pressão em barragens de Nova Orleans.

A batalha contra as águas ainda deve durar algumas semanas.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.