Grã-Bretanha

Pinguins ganham praia artificial em Zoológico de Londres

Player

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Tocar com outro programa

Os pinguins do Zoológico de Londres ganharam uma nova área com direito a praia artificial.

Com a inauguração, os pinguins terão uma área maior com areia, sol, mar e água gelada.

O espaço é grande, pois pinguins são animais sociais, que vivem em grandes grupos e, o novo ambiente tenta ser mais parecido com a natureza.

O espaço antigo no Zoológico de Londres apresentava um belo visual, mas apenas para o público. Para os pinguins o local não era adequado com sua rampa de concreto, sem rochas ou areia.

No novo ambiente, todos os esforços foram feitos para reproduzir o ambiente natural, até mesmo com jatos de água gelada, para manter a temperatura ideal mesmo em dias mais quentes.

E o ponto alto é uma piscina gigante e panorâmica, onde os pinguins podem nadar e ser observados.

Evelyn Guyett, que cuida dos pinguins no Zoologico de Londres, conta que nadar é o que os pinguins fazem melhor.

"Eles tem muitas adaptações, com membranas nas patas para nadar mais rápido, eles não voam, suas asas são mais parecidas com remos e podem ficar sem respirar por até sete minutos."

Ameaçados

A praia artificial dos pinguins no Zoológico de Londres

A praia artificial dos pinguins no Zoológico de Londres

Cenas com grandes grupos de pinguins em seu habitat natural sugerem que eles não correm riscos, mas os números de pinguins estão caindo e muitas espécies estão ameaçadas devido à mudança climática, excesso de pesca e poluição.

O especialista em pinguins Tom Hart diz quando "vemos os pinguins seguros, em terra não imaginamos que eles estão sendo mortos no mar".

"Cinco entre dezoito espécies estão ameaçadas e onze entre dezoito espécies estão vulneráveis e é uma situação preocupante", disse.

Segundo os pesquisadores, para melhorar a situação dos pinguins teríamos que reduzir as emissões de dióxido de carbono e controlar a pesca de modo mais rigoroso.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.