cronologia dos fatos
Brasil vive noite de protestos; veja resumo do dia

Atualizado em  17 de junho, 2013 - 23:54 (Brasília) 02:54 GMT
Para ver as últimas atualizações, recarregue a página ou habilite o javascript
  1. Encerramos por aqui a cobertura de protestos em mais de dez capitais brasileiras.

    Participe da discussão na página da BBC Brasil no Facebook ( facebook.com/bbcbrasil) e veja abaixo as notícias dos acontecimentos desta segunda-feira, em ordem cronológica.

    Nosso tema, suas fotos: protestos pelo Brasil

    Onda de protestos mobilizou dezenas de cidades país afora.
  2. Segundo a Secertaria de Segurança, ao menos 1.100 policiais serão usados na manifestação desta segunda-feira. A tropa de choque não deve ser enviada ao local, mas ficará de prontidão para entrar em ação se necessário.

  3. Integrantes do Movimento Passe Livre (MPL) afirmaram na manhã desta segunda-feira que estão descontentes com o fato de terem sido recebidos pelo secretário de Segurança Pública, e não por um autoridade relacionada à Secretaria de Transportes, para discutir o aumento da tarifa dos transportes.

  4. O Ministério Público fez um apelo aos ativistas do Movimento Passe Livre para que não levem manifestação desta segunda-feira para a Avenida Paulista, por ela ser uma importante via de ligação entre dezenas de hospitais de São Paulo, segundo o promotor Mauricio Ribeiro Lopes.


  5. Cartaz no Largo da Batata, local dos protestos.

  6. Em reunião com a polícia na manhã dessa segunda-feira, os ativistas do MPL se recusaram a divulgar o itinerário da manifestação. Eles concordaram, porém, que oficiais da PM acompanhem as lideranças do movimento durante o protesto.

  7. Após reunião com líderes do Movimento Passe Livre (MPL), Grella informou que, para o  protesto marcado para esta segunda-feira, os policiais não estarão equipados com balas de borracha, segundo a Agência Brasil.

  8. O promotor Maurício Ribeiro Lopes afirmou que o Ministério Público está pedindo ao governo nesta segunda-feira as informações e dados sobre as tarifas de ônibus para que as políticas e negociações sobre essas tarifas sejam abertas à sociedade.

  9. Milhares de pessoas já estão no Largo da Batata, zona oeste de São Paulo, para protestar contra o aumento no valor das passgens de ônibus.

  10. "Acho que esse movimento de protesto vai crescer. É possível compara-lo com os movimentos internacionais, como a Primavera Árabe e as manifestações da Turquia. Os jovens querem dizer que acordaram e não são alienados", disse o padre Julio Lancellotti, que participou nesta manhã de uma reunião entre ativistas, membros da polícia e promotores.

  11. Milhares de pessoas continuam chegando à manifestação no Largo da Batata, em São Paulo

  12. Há confrontos entre manifestantes e a tropa de choque da PM de Belo Horizonte, informam o jornal Estado de Minas e internautas.

    Segundo informações preliminares do jornal, policiais usaram bombas de gás lacrimogêneo para dispersar parte do grupo de milhares de pessoas que ocupa a av. Antonio Carlos, na capital mineira.

    Segundo a Agência Brasil, os manifestantes aproveitaram o jogo da Copa das Confederações, entre Taiti e Nigéria, no Mineirão, para criticar a corrupção, os gastos públicos com as obras para as Copas das Confederações e do Mundo, o preço do transporte público e a violência em São Paulo na semana passada.

     

  13. O correspondente da BBC Brasil no Rio, Caio Quero, está acompanhando as manifestações na Av. Rio Branco.

  14. Manifestantes no Largo da Batata, zona oeste de São Paulo

    O protesto continua a crescer na zona oeste de São Paulo. Parte já ocupa um trecho da Marginal Pinheiros e outra, segue pela av. Faria Lima.

  15. Em Brasília, um pequeno grupo de manifestantes furou o cordão de isolamento feito pela Polícia Militar e chegou à rampa do Congresso Nacional, informa a Agência Brasil. Os policiais usaram spray de pimenta para conter o grupo.

    Alguns manifestantes estão jogando água do espelho d´água nos policiais. A maioria dos participantes do protesto está concentrada no gramado do Congresso e pede que não haja violência.

    Com cartazes, faixas e bandeiras do país, o protesto começou às 17 horas no Museu da República, no início da Esplanada dos Ministérios. Durante a caminhada, mais pessoas foram aderindo à manifestação, que ocupou todas as faixas da via. 

  16.  

    Sensação de 'mal estar' social contribui para protestos

    Especialistas ouvidos pela BBC Brasil associam as manifestações à insatisfação dos jovens com as condições de vida e a administração nas cidades.
  17. Relatos não oficiais dão conta de 40 mil manifestantes no Rio, mas a PM fluminense não confirma. Pelo Twitter, a organização diz que não fechou os cálculos do número de pessoas presentes no protesto no centro da cidade.

  18. Salvador também é palco de uma manifestação liderada por integrantes do Movimento Passe Livre. Segundo informações da versão online do jornal A Tarde, o protesto é em solidariedade aos realizados em outras cidades do país, e o manifestantes pedem melhorias no transporte público da capital baiana. A manifestação fechou o trânsito em vias importantes com a Avenida Antônio Carlos Magalhães e causou lentidão na Avenida Tancredo Neves. O Movimento Passe Livre já convocou outro protesto para a próxima quinta-feira, quando a capital recebera o jogo Uruguai e Nigéria, pela Copa das Confederações.

  19. Centenas de manifestantes invadiram uma marquise no Congresso Nacional, em Brasília, e estão chamando mais pessoas para se unirem a eles. Houve momentos de corre-corre.

  20. A presidente Dilma Rousseff avalia que "manifestações pacíficas são próprias da democracia e que é próprio dos jovens se manifestarem", disse a ministra da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Helena Chagas, à Agência Brasil.

    Dilma acompanha a mobilização que está tomando as ruas em várias cidades do país. No começo da noite, ela se reuniu com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para tratar do assunto.

    Mais cedo, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, disse que o governo está preocupado com os protestos, e quer garantir diálogo com os movimentos para entender "anseios importantes" que têm levado as pessoas a se manifestar.

  21. Em Brasília, manifestantes começam a descer da cobertura do Congresso Nacional, ocupada por centenas de pessoas.

  22. Há cenas de tensão diante da Assembleia Legislativa do Rio: há depredação nas ruas, confronto entre polícia e manifestantes, pessoas sendo detidas, manifestantes correndo e ao menos uma bomba de gás lacrimogêneo foi disparada.

  23. Multidão de manifestantes cerca o Teatro Municial, no centro do Rio. Há relatos de choques entre polícia e manifestantes.

  24. Um jovem de 18 anos caiu de um viaduto durante a manifestação em Belo Horizonte, por volta das 19h, de acordo com a Agência Brasil. A PM de Minas Gerais informou que o rapaz não fazia parte do protesto - ele estava no viaduto quando a multidão passou.

    O rapaz foi levado para o Hospital Risoleta Tolentino Neves e seu quadro é estável.

  25. Mais BH: o confronto na capital mineira ficou violento após a Tropa de Choque disparar bombas de gás para dispersar os manifestantes que se agrupavam na Avenida Antônio Carlos, perto da Universidade Federal de Minas Gerais. A informação é da Agência Brasil. 

    Segundo uma nota divulgada pelo governo, a polícia só reagiu porque os manifestantes tentavam entrar no estádio do Mineirão.

  26. A manifestação no Rio estava totalmente pacífica até começarem os confrontos perto da Alerj, informa o correspondente da BBC Brasil no Rio, Caio Quero. Há corre-corre, dois focos de incêndio da região, disparo de bombas de gás lacrimogêneo e clima de tensão.

    A Agência Brasil informa que a situação continua incontrolável em frente à Assembleia fluminense. Manifestantes incendiaram um carro que estava no estacionamento funcional da Alerj, que é destinada a deputados e a funcionários da Casa e depredaram uma viatura da PM. Alguns tentam invadir o local.

    O cheiro de álcool e gasolina é muito forte e algumas pessoas chegaram a passar mal.

  27. Em São Paulo, manifestantes rumo à Paulista gritam "ei, Brasil, vamos acordar / professor vale mais do que o Neymar".

  28. A foto da Reuters mostra um carro incendiado próximo à Alerj, no Rio. O correspondente da BBC Brasil na cidade, Caio Quero, diz que o incêndio foi obra de um pequeno grupo, e que a maioria dos manifestantes condenou a ação.

  29. Em nota, a PM do Rio estimou em 100 mil o número de manifestantes na cidade nesta segunda-feira.

    Cinco policiais militares do 5º BPM (Centro) foram feridos no ataque desferido por manifestantes à Assembleia Legislativa no início da noite, diz o comunicado.

  30. Na zona sul de São Paulo, após cantar o hino nacional, manifestantes começam a regressar. Alguns voltam pela av. Santo Amaro, acompanhados de policiais, pacificamente.

  31. Um grupo de manifestantes ainda se concentra diante do Palácio dos Bandeirantes (zona sul), sede do governo estadual de São Paulo.

  32. Ainda em São Paulo: grupo que protestava na Marginal Pinheiros e na av. Berrini (zona sul) agora segue pela av. Nove de Julho rumo à Paulista. Há uma tentativa dos manifestantes de reunir todos os grupos que se dispersaram pela cidade na av. Paulista.

  33.  

    Em Brasília, um grupo de manifestantes na entrada subterrânea do Congresso tentou forçar passagem. Houve um breve confronto com os policiais, que dispersaram a manifestação com spray de pimenta. Aparentemente foi o único confronto registrado na Capital Federal nesta segunda. Muitos manifestantes começam a deixar os arredores do Congresso.

  34. A tensão parece crescer diante do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo de São Paulo. Há relatos de que manifestantes teriam tentado invadir o local.

  35. No Rio, manifestantes fizeram uma fogueira em frente ao prédio da Assembleia Legislativa, informa a Agência Brasil. Eles usaram móveis e equipamentos eletrônicos de agências bancárias invadidas durante o protesto.

    A manifestação começou pacífica na Candelária e seguiu em passeata até a Cinelândia sem registrar conflitos. De lá, um grupo partiu para a região da Assembleia Legislativa. Os manifestantes tentam entrar no prédio, mas encontram dificuldades por causa das grades de ferro na entrada.

  36. Um grupo de manifestantes invadiu a Assembleia Legislativa do Rio, em meio a confrontos nos arredores do local.

  37. Há feridos nos arredores da Assembleia Legislativa do Rio, atacada por manifestantes nos protestos desta segunda.

    Os focos de incêndio no local foram controlados.

  38. Uma parte dos manifestantes na av. Paulista, em São Paulo, começa a se dirigir ao Centro, rumo à Prefeitura.

  39. A tensão ainda é grande diante do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. Um grande número de manifestantes ainda se reúne na frente de um dos portões, cantando, fazendo fogueiras e atirando objetos ao local.

    Os manifestantes chegaram a forçar portões do palácio, mas foram contidos.

  40. Vários disparos de gás lacrimogêneo diante de um dos portões do Palácio dos Bandeirantes, zona sul de São Paulo.

  41. No Rio, a tropa de choque chegou ao Centro para tentar controlar manifestantes nas proximidades da Alerj.

  42. A Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro informou à Agência Brasil que subiu de cinco para 20 o número oficial de policiais militares feridos depois que manifestantes começaram a jogar coquetéis molotov na porta do Paço Imperial e da Alerj.

  43. Situação um pouco mais calma diante do Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo. Na Paulista, protesto parece continuar de forma pacífica.

  44. No Paraná, a RPCTV informa que um grupo de manifestantes tentou invadir a sede do governo paranaense, em Curitiba. Foram contidos pela PM, que deteve ao menos seis deles.

  45. Tropa de choque parece ter retomado o controle sobre a Alerj, no Rio. Em São Paulo, ainda há manifestantes diante do Palácio dos Bandeirantes.

Dia de protestos pelo Brasil

Atualizado em 18 junho, 2013

Manifestação em São Paulo (AFP)

  • As manifestações desta segunda-feira tomaram as ruas de diversas capitais do país, incluindo São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Maceió, Salvador, Fortaleza, Curitiba, Belém, Vitória e Porto Alegre.
  • Em São Paulo, os manifestantes iniciaram uma passeata em Pinheiros. Depois, o grupo se dividiu: parte da multidão ocupou a Marginal do rio Pinheiros, outra, a Avenida Paulista, e um grupo tentou invadir o Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi.
  • No Rio, a passeata seguiu da Candelária em direção à Cinelândia, passando pela Avenida Rio Branco. Imagens exibidas pela TV mostraram a avenida no centro da cidade completamente tomada pelos manifestantes. Um grupo chegou a invadir a Assembleia Legislativa e entrou em choque com a polícia.
  • Em Belo Horizonte, a multidão se reuniu na Praça Sete, no centro, e caminhou rumo ao estádio do Mineirão, onde ocorreu o jogo Nigéria x Taiti pela Copa das Confederações. Houve confronto entre manifestantes e a polícia.
  • Em Brasília, depois de se concentrarem no gramado do Congresso Nacional, centenas de pessoas tomaram uma cobertura do Congresso, vencendo um cordão de isolamento da polícia.

Participe da nossa cobertura

Envie comentários para as nossas páginas no Facebook e no Twitter

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.