BBC World Service LogoHOMEPAGE | NEWS | SPORT | WORLD SERVICE
Portuguese Pesquisa na BBC Brasil
 
Primeira Página
Saúde &
Tecnologia
Economia
Cultura
Especial
Fórum
Aprenda inglês
ÁUDIO
Dois minutos pelo mundo
Notícias
Mundo Hoje
De Olho
no Mundo
Programação
Como Sintonizar
SERVIÇOS
Parceiros
Sobre a BBC
Expediente
Página simplificada
Fale com a gente
Empregos
E-manchetes
LÍNGUAS
Espanhol
Português para a África
Árabe
Chinêês
Persa
Hindi
Urdu
BBC News
BBC Sport
BBC Weather
 Você está em: Notícias
01 de julho, 2002 - Publicado às 11h17 GMT
Vitória! Vitória!



 Clique aqui para ouvir esta coluna do Ivan Lessa

Palavra que, por algumas horas mágicas, Londres, na tarde de domingo, virou um pouco Brasil. Em escala pequeníssima, claro, e mais lembrando um disfarce, ou fantasia.

Vá lá que seja, fantasia. Afinal, como dizem tangos e sambas, é tudo Carnaval. Perto de casa, assim que foi dado o apito final, ouvi alguns carros buzinando.

Não juro, mas uma pessoa de minha família, em quem confio, disse-me ouvir vozes dando aquele nosso prolongado "Brasiiiiiiil!" e até mesmo, depois, cantando o hino nacional.

É capaz. Afinal, no domingo de verão, que em homenagem ao jogo vestiu-se de inverno carioca, não havia Wimbledon nem tenista inglês disputando nada.

Os ingleses, nas ruas, rádio e televisão, não tinham outro esporte a cobrir. Cricket, atletismo e turfe, convenhamos, não chegam aos pés (desculpem o infame jogo de palavras) do futebol.

Na TV, os comentaristas todos elogiando, quase que desvairadamente, a vitória do Brasil, a conjunção esplêndida do que vinham chamando de três Rs, Ronaldo, Rivaldo e Ronaldinho (embora desses, pra valer, só Ronaldo tenha correspondido às expectativas: deles, minhas).

Muito comentadas as falhas do goleiro Kahn e as boas intervenções inesperadas do nosso Marcos. Na verdade, estavam dizendo tudo aquilo que, na segunda, eu iria ler em tudo quanto é jornal inglês e português.

Cá entre nós, eles deram só um pouco menos espaço do que nós. E o grande herói da epopéia asiática foi… Ora, Ronaldo, óbvio. A palavra "redenção" foi a mais ouvida, numa proporção de sete "redenções" para três "beautiful game", que é como eles, os ingleses, cismaram que nós chamamos aquele que já foi o esporte bretão.

Confesso que não fui a Trafalgar Square celebrar o – tá bom, eu cedo – o "penta" (mas só entre aspas). Vi as cenas. Se eu tivesse tomado umas caipirinhas, diria que era a cara da Copacabana que andaram mostrando na televisão.

Com menos mulher semipelada, como naquele episódio dos Simpsons, e menos, bem menos, graças a Deus, foguetes de estampido e aquelas bombinhas conhecidas como cabeças-de-negro.

Só tenho uma restrição às festividades: noticiaram que Ronaldo e seu novo corte de cabelo dedicavam a vitória a Deus, à sua família e ao seu fisioterapeuta. Ué, e os 170 milhões de brasileiros que andaram se esgoelando por todo mês de junho?

 Clique aqui para ouvir esta coluna do Ivan Lessa


 
   E-MANCHETE
Assine o serviço da BBC Brasil para receber as principais notícias por e-mail.
   ORIENTE MÉDIO
Leia as últimas notícias e análises sobre o processo de paz entre Israel e os palestinos.









Notícias relacionadas:
28 de junho, 2002
  Tetra ou penta?
26 de junho, 2002
  Trocando as Bolas
24 de junho, 2002
  Domingo sem jogo
21 de junho, 2002
  Tsunami de um jogão
19 de junho, 2002
  Estilo e graça de Beckham
Links externos:
Copa do Mundo de 2002
A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.
BBC World Service Logo ^^Volta ao início da página
Primeira Página | Saúde & Tecnologia | Economia | Cultura | Especial
Fórum | Aprenda inglês
---------------------------------------------------------------------------------------------------
Programação | Como Sintonizar
Parceiros | Sobre a BBC