BBC World Service LogoHOMEPAGE | NEWS | SPORT | WORLD SERVICE
Portuguese Pesquisa na BBC Brasil
 
Primeira Página
Saúde &
Tecnologia
Economia
Cultura
Especial
Fórum
Aprenda inglês
ÁUDIO
Dois minutos pelo mundo
Notícias
Mundo Hoje
De Olho
no Mundo
Programação
Como Sintonizar
SERVIÇOS
Parceiros
Sobre a BBC
Expediente
Página simplificada
Fale com a gente
Empregos
E-manchetes
LÍNGUAS
Espanhol
Português para a África
Árabe
Chinêês
Persa
Hindi
Urdu
BBC News
BBC Sport
BBC Weather
 Você está em: Notícias
03 de outubro, 2002 - Publicado às 14h41 GMT
Violência no mundo mata 1,6 milhão de pessoas por ano
A maioria das mortes acontece entre quatro paredes
A maioria das mortes acontece entre quatro paredes

A violência mata mais de 1,6 milhão de pessoas no mundo a cada ano, segundo um relatório divulgado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

A OMS afirma que outros milhões de pessoas são mutiladas por ataques.

A violência é hoje a principal causa das mortes de pessoas com idades entre 15 e 44 anos.

Ao divulgar o relatório, a OMS pediu aos governos em todo o mundo que adotem medidas urgentes para diminuir índices de assassinatos, violência doméstica e conflitos armados.

Uma morte por minuto

Segundo o relatório, a violência responde por 14% das mortes de homens e 7% das mortes de mulheres.

Isso quer dizer que uma pessoa morre em algum lugar do mundo a cada minuto.

Outras estatísticas publicadas dizem que uma pessoa comete suicídio a cada 40 segundos e 35 pessoas morrem a cada hora em conflitos envolvendo armas.

Para cada pessoa morta pela violência, entretanto, 40 outras precisam de tratamento para ferimentos graves.

Metade das mulheres mortas em crimes violentos são assassinadas pelo marido, ex-marido ou namorado. Em alguns países, o índice sobe para 70%.

Uma em quatro mulheres no planeta vai sofrer violência sexual por parte do parceiro.

A violência contra os idosos, no entanto, também é um problema crescente, com 6% de idosos tendo se declarado vítimas de abuso.

Educação

O diretor da OMS, Gro Harlem Brundtland, disse que o relatório representa um desafio.

"Ele nos força a ir além das noções do que é aceitável e confortável, a questionar a crença de que a violência é uma questão de privacidade da família, escolha individual ou um fato inevitável da vida."

O diretor do departamento de prevenção de ferimentos e violência da OMS, Etienne Krug, disse que as mortes podem ser evitadas com uma mudança de atitude.

"Não há nada inevitável a respeito da violência e ela não é intrínseca à condição humana."

"No mundo inteiro, há evidências de que a violência pode ser evitada por uma série de medidas envolvendo indivíduos, famílias e comunidades."

O relatório reivindica programas educacionais para crianças nas escolas, treinamento para os pais e esquemas para diminuir o uso de armas de fogo, além de melhor suporte para as vítimas da violência.
 
   E-MANCHETE
Assine o serviço da BBC Brasil para receber as principais notícias por e-mail.
   ORIENTE MÉDIO
Leia as últimas notícias e análises sobre o processo de paz entre Israel e os palestinos.







Notícias relacionadas:
26 de agosto, 2002
  Violência em alta é freio para o desenvolvimento
26 de agosto, 2002
  Bogotá reduz violência em pleno conflito colombiano
23 de julho, 2001
  Artistas condenam violência durante reunião do G8
15 de julho, 2002
  Para analistas, atentado na França reflete onda de violência
30 de agosto, 2002
  'Polícias têm que atuar juntas para reduzir violência'
BBC World Service Logo ^^Volta ao início da página
Primeira Página | Saúde & Tecnologia | Economia | Cultura | Especial
Fórum | Aprenda inglês
---------------------------------------------------------------------------------------------------
Programação | Como Sintonizar
Parceiros | Sobre a BBC