Belga que atacou creche 'admitiu assassinatos', diz advogado

Jornais belgas mostraram fotos de Kim De Gelder, acusado dos crimes
Image caption Jornais belgas mostraram fotos de Kim De Gelder, acusado dos crimes

O belga acusado de matar duas crianças e uma funcionária de uma creche a facadas no noroeste do país na semana passada admitiu os assassinatos, segundo seu advogado.

Kim De Gelder, 20 anos, "compreende que o que ele fez foi desumano", afirmou o advogado do acusado, Jaak Haentjes.

Gelder foi preso depois do ataque a uma creche em Dendermonde na sexta-feira, no qual outras 12 pessoas ficaram feridas, a maioria bebês.

Nesta terça-feira Gelder compareceu a uma audiência e a Justiça determinou que ele deve permanecer detido por um mês, segundo o correspondente da BBC em Bruxelas Dominic Hughes.

Vidros escuros

Um carro com vidros escuros levou Kim De Gelder, desempregado, ao tribunal da cidade de Dendermonde.

Em uma sessão fechada, ele foi acusado da morte de dois bebês, com idades de seis e nove meses, e de uma funcionária da creche, de 54 anos, além de ferir outras 12 pessoas.

O advogado Jaak Haentjes disse à imprensa que teve uma longa conversa com Kim De Gelder.

"Acho que ele sente pesar (pelas mortes). Isto é o que ele diz, mas seria excessivo afirmar que ele está arrependido", afirmou Haentjes à agência de notícias Belga.

"Foi uma conversa produtiva, a respeito da vida dele, mas também sobre o incidente. A razão de ele ter escolhido bebês em uma creche como vítimas ainda é um mistério."

"Quero saber a razão de ele ter feito isto. Ele também está pronto para ajudar neste sentido", acrescentou o advogado.

O ataque à creche chocou a Bélgica e, na noite de segunda-feira, o primeiro-ministro Herman Van Rompuy e outros ministros do governo participaram da última das vigílias em frente à creche, junto com pais das vítimas.

Internação

As autoridades belgas afirmam que Kim De Gelder também é suspeito da morte de uma idosa.

O promotor Christian Du Four acredita que Gelder seria o responsável pela morte a facadas de uma mulher de 73 anos na casa onde ela morava em Beveren, próxima de Dendermonde, uma semana antes do incidente na creche.

O advogado Jaak Haentjes afirma que seu cliente nega qualquer conhecimento a respeito deste ataque.

Conhecidos de Gelder afirmaram à imprensa belga que ele era "imaturo", "tímido" e "solitário".

Segundo a agência belga de notícias, os pais de Gelder tentaram interná-lo quando ele tinha 18 anos, porque achavam que ele tinha um comportamento estranho.

No entanto, conforme a agência, um psiquiatra achou que a internação não era necessária.

A imprensa informou que, no momento do ataque à creche, ele estaria usando maquiagem que o deixaria parecido com o personagem Coringa, da série de filmes do personagem Batman, mas a polícia não confirmou a informação.

A polícia informou que Gelder levava uma lista de creches e eles suspeitam que ele planejava mais ataques.