Premiê vira herói na Turquia após atrito com Israel

Multidão recebeu Recep Tayyip Erdogan no aeroporto de Istambul
Image caption Multidão recebeu Recep Tayyip Erdogan no aeroporto de Istambul

O primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, foi recebido como um herói ao voltar para Istambul depois de abandonar um debate a respeito da Faixa de Gaza no Fórum Econômico Mundial, em Davos.

Durante o debate, o premiê turco não teve permissão para rebater afirmações do presidente de Israel, Shimon Peres, que defendeu a ofensiva israelense no território palestino.

Ao ser interrompido, Erdogan se levantou e abandonou o debate e o fórum.

Shimon Peres disse esperar que as relações entre Israel e a Turquia não sejam abaladas pela troca acalorada de opiniões entre ele e Erdogan em Davos. Indignação

Segundo a correspondente da BBC em Istambul, Sarah Rainsford, milhares de pessoas tomaram a rua em frente ao aeroporto da cidade turca para dar as boas vindas a Erdogan.

Ao chegar, Erdogan disse à multidão que o aguardava que a linguagem e o tom usados por Peres durante o debate foram inaceitáveis.

"Apenas sei que tenho que proteger a honra e o povo turco", disse o premiê em sua chegada ao país. "Não sou um chefe de uma tribo. Sou o primeiro-ministro da Turquia. Tenho que fazer o que tem que ser feito."

De acordo com Rainsford, a operação militar israelense na Faixa de Gaza gerou grande indignação na Turquia e a população parece dar muito apoio à atitude de Erdogan em Davos.

Mais de 1,3 mil palestinos e 14 israelenses morreram durante as três semanas da ofensiva israelense na Faixa de Gaza, um conflito que começou no dia 27 de dezembro.

Na manifestação da manhã desta sexta-feira, perto do aeroporto, a multidão levava bandeiras turcas e palestinas e cartazes elogiando Erdogan como um novo líder mundial.

Correspondentes afirmam que as multidões gritavam "A Turquia está com você".

Image caption Erdogan abandonou debate com Peres e deixou Davos

"Esta noite fiquei muito orgulhoso, muito feliz", disse Mustafa Sahin, que também participou da manifestação.

'Culpa'

Durante o debate na quinta-feira em Davos, Erdogan entrou em confronto com Shimon Peres, que levantou a voz para fazer uma defesa veemente das ações de Israel na Faixa de Gaza.

Erdogan, por sua vez, afirmou que Peres estava falando alto para esconder a própria "culpa".

O premiê turco acrescentou que muitas pessoas morreram na Faixa de Gaza e que seria triste para ele que Peres tenha recebido aplausos depois de defender a ofensiva de Israel. Em seguida, Erdogan acusou o mediador do debate de não permitir que ele falasse a disse que nunca voltaria a Davos.

Mais tarde Erdogan destacou que abandonou o debate não por discordar de Peres, mas por ter tido bem menos tempo do que o líder israelense.

O premiê turco afirmou que respeita Peres, mas "o que ele diz não é verdade".

A Turquia é um dos poucos países muçulmanos a ter acordo com Israel, mas as relações estão abaladas desde que o partido com raízes islâmicas AK foi eleito para o governo do país em 2002.

Erdogan disso à multidão nesta sexta-feira em Istambul que "nossas palavras duras não são contra o povo de Israel, não são contra os judeus, mas são totalmente dirigidas contra o governo de Israel".