EUA registram maior perda de empregos em 34 anos

Desempregados em feira de empregos na Califórnia

Com corte de 598 mil vagas, taxa de desemprego nos EUA chega a 7,6%

A economia americana perdeu 598 mil postos de trabalho em janeiro, o maior corte dos últimos 34 anos, segundo dados divulgados nesta sexta-feira pelo Departamento de Trabalho dos Estados Unidos.

Com esse número de vagas fechadas, a taxa de desemprego nos Estados Unidos subiu de 7,2% em dezembro de 2008 para 7,6% em janeiro de 2009, a mais alta desde 1992.

O Departamento de Trabalho também revisou para cima o número de postos fechados em dezembro, de 524 mil para 577 mil vagas perdidas.

Os dados divulgados nesta sexta-feira são piores do que o esperado por economistas e são interpretados como um sinal do agravamento da recessão na maior economia do mundo, com empresas cada vez mais relutantes na hora de contratar funcionários.

Os resultados também são anunciados em meio ao crescente temor de que a contração na economia global ainda vá persistir por algum tempo.

"Nos últimos 12 meses, o número de pessoas desempregadas aumentou em 4,1 milhões", diz o relatório do Departamento de Trabalho. Segundo dados oficiais, há atualmente 11,6 milhões de desempregados no país.

Desde o início da recessão na economia americana, em dezembro de 2007, foram fechadas 3,6 milhões de vagas nos Estados Unidos, sendo mais da metade nos últimos quatro meses.

Também nesta sexta-feira, o Canadá divulgou que a taxa de desemprego no país chegou a 7,6% em janeiro, com a perda de 129 mil vagas.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.