Egito diz que há sinais positivos de acordo entre Israel e Hamas

Destruição em Gaza

Israel e Hamas negociam cessar-fogo permanente na Faixa de Gaza

O ministério da Defesa do Egito disse neste domingo que há "sinais positivos" de que Israel e o grupo militante palestino Hamas poderão chegar em breve a um acordo de cessar-fogo permanente na Faixa de Gaza.

O porta-voz do ministério, Hossam Zaki, disse que um dos pontos fundamentais do acordo - a exigência feita pelo Hamas de que os postos de passagem de Gaza para Israel e para o Egito sejam reabertos - pode ser resolvido nos próximos dias.

"Um acordo sobre a reabertura parcial dos postos de passagem pode vir nos próximos dias", disse.

As negociações entre as partes estão acontecendo no Cairo, com mediação do governo egípcio. Nos últimos dias, a delegação de Gaza tem exigido mais detalhes sobre as propostas israelenses.

Troca de prisioneiros

No sábado, Mahmud Zahar, um dos principais líderes do Hamas em Gaza, apareceu em público pela primeira vez desde o conflito para se juntar à delegação palestina.

Segundo o correspondente da BBC no Cairo Christian Fraser, a presença de Zahar em um encontro com a principal autoridade de inteligência do Egito, Omar Suleiman, foi vista como um sinal positivo de que as partes podem estar perto de chegar a um acordo.

A delegação palestina viajou para Damasco para discutir a proposta israelense e deve voltar ao Cairo na segunda-feira, quando se espera uma resposta.

Israel insiste que alguns materiais - como alguns tipos de tubulações e químicos - precisam ser impedidos de entrar em Gaza, porque eles poderiam ser usados para fabricação de foguetes ou explosivos. O Hamas argumenta que esses materiais são fundamentais para a reconstrução de infra-estrutura básica em Gaza.

Pelo acordo esboçado até agora, o ponto de passagem de Rafah, na fronteira entre Gaza e o Egito, seria reaberto com a presença de monitores internacionais e guardas que responderiam ao presidente palestino, Mahmoud Abbas, que pertence à facção palestina Fatah, rival do Hamas.

Há relatos na imprensa árabe de que um acordo entre o Hamas e Israel poderia envolver também uma grande troca de prisioneiros, que incluiria a libertação do soldado israelense Gilad Shalit e do líder palestino Marwan Barghouti.

Também tem sido falado durante as discussões no Cairo que em uma etapa posterior haveria um processo de reconciliação entre o Hamas e o Fatah, com o objetivo de formar um governo de coalizão.

Neste domingo, um foguete foi disparado de Gaza e atingiu os arredores da cidade israelense de Sderot, provocando um incêndio em um carro e causando danos em outros dois veículos.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.