Prisão marca posse de governo de coalizão no Zimbábue

Roy Bennett (foto de arquivo)
Image caption Roy Bennett foi indicado pelo MDC para ser vice-ministro de Agricultura

A prisão de um oposicionista indicado para ser vice-ministro de Agricultura marcou nesta sexta-feira a posse de um gabinete de governo de coalizão no Zimbábue, após quase um ano de negociações.

Roy Bennett, um produtor rural branco que perdeu suas terras durante a reforma agrária promovida pelo presidente Robert Mugabe, havia sido nomeado para o cargo pelo partido de oposição Movimento para a Mudança Democrática (MDC, na sigla em inglês).

Um comunicado emitido pelo MDC disse que ele foi indiciado por traição à pátria.

Na quinta-feira, Bennett havia dito à BBC que estava escondido porque os serviços de segurança do país haviam emitido uma ordem de prisão contra ele.

Polêmica

Ex-parlamentar, Bennett é uma figura polêmica no Zimbábue e já havia denunciado anteriormente ameaças de morte contra ele.

De outubro de 2004 a junho de 2005, ele cumpriu pena de prisão imposta por outros parlamentares depois de ele ter empurrado um ministro durante uma discussão no Parlamento a respeito da reforma agrária.

Depois de receber outra ordem de prisão, por suposta ligação com um complô para assassinar Mugabe, Bennett fugiu do país. Ele passou mais de dois anos no exílio na África do Sul e apenas recentemente havia retornado ao Zimbábue.

De acordo com o enviado da BBC em Harare, Andrew Harding, Bennett acredita que os últimos acontecimentos no Zimbábue indicam que a linha-dura do partido de Mugabe, o Zanu-PF, está tentando prejudicar o novo governo de coalizão.

Gabinete

O acordo para a formação do governo de coalizão prevê que o Zanu-PF fique com 15 pastas e as duas facções do MDC ocupem outros 16 ministérios.

No entanto, segundo o jornalista zimbabuano Brian Hungwe, mais cinco ministros do Zanu-PF apareceram na cerimônia e o impasse só foi solucionado depois de intensas negociações a portas fechadas.

Mugabe permanece com a Presidência, e o líder do MDC, Morgan Tsvangirai, tomou posse na quarta-feira como primeiro-ministro.

Tsvangirai havia vencido o primeiro turno das eleições presidenciais de março de 2008, mas com pequena margem de vantagem sobre Mugabe, que governa o Zimbábue desde 1980.

No segundo turno, Tsvangirai se retirou do pleito alegando uma campanha de violência contra seus partidários e eleitores por parte do Zanu-PF.

O Zimbábue enfrenta uma epidemia de cólera e uma grave crise econômica, com inflação de 231.000.000% e taxa de desemprego de mais de 90%.

Notícias relacionadas