EUA incluem Afeganistão em revisão de políticas para o país

Hamid Karzai
Image caption Karzai vem sendo criticado por membros do governo Obama

O presidente do Afeganistão, Harmid Karzai, e o novo enviado dos Estados Unidos para a região, Richard Holbrooke, anunciaram neste domingo que o governo afegão deve participar de uma grande revisão das políticas americanas para o país.

Em uma entrevista coletiva conjunta em Cabul, Holbrooke disse esperar que pelo menos um alto funcionário do governo americano visite o Afeganistão todos os meses "para melhorar este esforço conjunto".

Já Karzai afirmou que uma delegação afegã será enviada a Washington para discutir novas maneiras de combater a milícia Talebã.

O líder afegão também anunciou que as novas regras para a atuação das forças estrangeiras no país devem entrar em vigor logo - em uma tentativa de diminuir o número de vítimas civis dos conflitos.

Críticas

Após ter sido criticado por membros do governo do presidente americano Barack Obama nas últimas semanas, Karzai disse estar "muito grato" por ter sido envolvido nas negociações.

"Estou muito grato pelo fato de o presidente Obama ter aceitado minha proposta de incluir o Afeganistão na revisão estratégica da guerra americana contra o terror."

Os americanos vinham dizendo que o governo afegão precisa fazer mais para combater a corrupção.

A entrevista na capital afegã, organizada meio às pressas, pode ser um sinal de que os dois lados pretendem trabalhar juntos, apesar das relações estremecidas.

Mas para muitos membros do governo do Afeganistão, Karzai não é mais popular na Casa Branca.

Antes da viagem, Holbrooke disse que resolver a situação no Afeganistão será "muito mais difícil" do que no Iraque e que ele "nunca tinha visto algo como a bagunça que nós (do governo Obama) herdamos".

O enviado americano também visitou o Paquistão, mas apenas deu declarações breves sobre o assunto. Ele ainda deve ir à Índia.