França reconhece responsabilidade no Holocausto

Muro com nomes de judeus deportados da França, em Paris
Image caption Por décadas, a França não reconheceu participação no Holocausto

A mais alta corte de Justiça da França reconheceu formalmente nesta segunda-feira a responsabilidade do país na deportação de judeus durante a Segunda Guerra Mundial.

Analistas dizem o anúncio do Conselho representa o maior reconhecimento das autoridades francesas da participação do país no Holocausto.

O Conselho de Estado disse que a França permitiu ou facilitou deportações que levaram à perseguição antisemita sem sofrer coerção dos nazistas, que controlaram a França de 1940 a 1944.

Porém, o Conselho concluiu que já foram feitos os devidos reparos "na medida do possível, para todas as perdas sofridas", descartando assim qualquer tipo de compensação para deportados ou seus familiares.

Chirac

Entre 1942 e 1944, cerca de 76 mil judeus foram deportados da França para campos de concentração nazistas pelo governo francês instalado pelos nazistas no centro-sul do país, com capital na cidade de Vichy.

O governo de Vichy dividiu entre 1940 e 1944 a administração do território da França com a própria Alemanha, que controlava Paris, o norte e o oeste do país.

Em 1995 o então presidente francês, Jacques Chirac, já havia reconhecido a responsabilidade do governo na deportação de judeus franceses, encerrando décadas de ambiguidade de todos os governos anteriores.

"Estas horas mancham nossa história e são um insulto ao nosso passado e nossas tradições" disse Chirac na época.

"Sim, a estupidez criminosa de nossos ocupantes foi sustentada pelos franceses, pelo Estado francês."

Notícias relacionadas