Jornal britânico diz que Israel sabota programa nuclear do Irã

Usina nuclear de Isfahan, no Irã
Image caption O Irã insiste que seu programa nuclear tem fins pacíficos

O jornal britânico The Daily Telegraph afirmou em sua edição desta terça-feira que Israel lançou uma guerra secreta de sabotagem contra o programa nuclear do Irã, como alternativa a uma ação militar direta contra o país.

O jornal cita fontes de inteligência dos Estados Unidos, entre elas um ex-agente da CIA (central de inteligência do governo americano), que afirmam que os israelenses estão "usando assassinos profissionais" para eliminar cientistas nucleares. O Telegraph afirma ainda que Israel utiliza agentes duplos e empresas de fachada para se infiltrar na rede de compras de material relacionado ao programa nuclear do Irã.

"Há rumores de que o Mossad (agência de espionagem israelense) estaria por trás da morte de Ardeshire Hassanpour, um destacado cientista nuclear da usina de enriquecimento de urânio de Isfahan, no Irã, que morreu em circunstâncias misteriosas, no que foi registrado como 'envenenamento de gás' em 2007", disse a reportagem.

Segundo o Telegraph, peritos em inteligência dizem que o objetivo da campanha israelense é "atrasar ou interromper o programa de pesquisa do Irã, sem a aposta arriscada de uma confrontação direta, que pode levar a uma guerra mais ampla".

"A meta é atrasar, atrasar, atrasar até que possa aparecer alguma outra solução ou abordagem. Nós certamente não queremos que o atual governo iraniano tenha estas armas (nucleares)", disse o ex-agente da CIA, segundo o Daily Telegraph.

O jornal afirma ainda que há temores em Israel e nos Estados Unidos de que o Irã estaria chegando a um "ponto sem volta em sua capacidade de construir uma bomba atômica".

Notícias relacionadas