Equador expulsa 2º diplomata americano em um mês

O ministro das Relações Exteriores equatoriano, Fander Falconí, anunciou nesta terça-feira a expulsão do Equador do primeiro-secretário da embaixada dos Estados Unidos em Quito, James Mark Sullivan.

Trata-se do segundo diplomata americano no Equador a ser expulso do país em menos de um mês.

De acordo com a versão online do jornal equatoriano El Universo, Falconi acusou Sullivan de interferir em assuntos policiais e internos do Equador.

Em uma coletiva, o chanceler disse que um informe do Comando da Polícia equatoriana indicou a suposta interferência do diplomata na Unidade de Investigações Especiais da Polícia.

Sullivan recebeu 48 horas para deixar o país.

Projeto antidrogas

No dia 7 deste mês, o funcionário da embaixada americana Armando Astorga também foi convidado a deixar o Equador.

Astorga foi acusado pelo governo equatoriano de condicionar uma ajuda financeira para a polícia equatoriana ao direito para que o governo americano selecionasse os responsáveis pelo desenvolvimento de um projeto antidrogas.

Leia mais na BBC Brasil: Correa expulsa funcionário da embaixada dos EUA

O presidente do Equador, Rafael Correa, mantém estreitas relações com o presidente Hugo Chávez, da Venezuela, e Evo Morales, da Bolívia - conhecidos por fazer duras críticas ao governo americano.

Notícias relacionadas

Links de internet relacionados

A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos de internet