Portugal planeja aplicar reforma ortográfica 'em meses'

Portugal deverá começar a aplicar o acordo ortográfico ainda neste semestre, segundo informou nesta terça-feira o ministro da Cultura português, José António Pinto Ribeiro.

A data para a implementação está sendo negociada com Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, os outros dois países que já ratificaram o acordo, de acordo com o porta-voz do ministro.

"Estamos negociando para publicar no diário oficial dos três Estados no mesmo dia", disse Rui Peças, assessor de imprensa do ministro, à BBC Brasil.

Peças disse ainda que, apesar de Brasil, Cabo Verde e São Tomé terem entregue em Portugal os instrumentos de ratificação do acordo, o Diário Oficial português ainda não publicou essa informação.

Corretor ortográfico

A declaração do ministro foi feita na apresentação do primeiro programa de computador português para correção de textos adaptado ao novo acordo ortográfico.

Produzido por uma editora que publica dicionários e livros escolares, o programa começou a ser vendido ao preço de 70 euros (cerca de 206 reais).

Segundo Peças, dos quatro países que ainda não ratificaram o acordo, Timor Leste está mais adiantado.

Também não está definido se Portugal vai ter um consultor para resolver os casos que o acordo deixou em aberto (como os hífens de alguns prefixos), cargo exercido pelo acadêmico Evanildo Bechara no Brasil.

Na aplicação do acordo, outra área que ainda não tem prazo para ser realizada é a compilação do vocabulário científico e técnico comum aos oito países de língua portuguesa.

Segundo Peças, uma reunião da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa realizada em novembro aprovou a formação de uma comissão que deve compilar o vocabulário e definir as palavras comuns, mas até agora seus membros não foram indicados pelos países.