Obama anuncia plano para saída total do Iraque até 2011

Image caption Em 2011, militares americanos devem treinar forças de segurança iraquianas

O presidente americano, Barack Obama, anunciou nesta sexta-feira que as missões de combate dos Estados Unidos no Iraque devem terminar até 31 de agosto de 2010, quando a maior parte dos 142 mil soldados americanos devem deixar o território iraquiano.

Obama disse que, depois desta data, entre 35 mil e 50 mil soldados devem permanecer no Iraque para fornecer treinamento para as forças de segurança iraquianas. A saída deste último grupo está prevista para 2011.

"Deixe-me dizer isso da forma mais clara possível: até 31 de agosto de 2010, nossas missões de combate no Iraque vão terminar", afirmou o presidente americano, durante discurso na Carolina do Norte, onde detalhou sua estratégia para o Iraque e seus vizinhos. "Pretendo tirar todos os nossos soldados do país até o fim de 2011."

O plano anunciado é considerado um meio termo entre a relativamente rápida saída prometida por Obama durante a campanha eleitoral e a retirada mais gradual, preferida por alguns setores militares americanos.

Durante a campanha, Obama havia dado o prazo de 16 meses, após ter assumido a Presidência, para a saída total dos militares americanos do país.

Metas 'claras'

"O Iraque ainda não é seguro e teremos mais dias difíceis pela frente", disse Obama. Segundo o presidente americano, a solução de longo prazo para o Iraque deve ser política, e as decisões sobre o país devem ser tomadas pelos iraquianos.

Obama também prestou homenagem ao sacrifício de soldados americanos que serviram o país na guerra nos últimos seis anos.

O líder americano disse ainda que vai aumentar os serviços de saúde oferecidos aos veteranos de guerra, uma reivindicação recorrente de ex-combatentes dos Estados Unidos.

Obama disse ainda que uma lição importante a ser aprendida com o conflito iraquiano é que os Estados Unidos devem entrar em guerras com metas claras, pesar o custo de suas ações e"comunicar honestamente este custo ao povo americano".

Nova era

Outra importante lição para os Estados Unidos, segundo o presidente americano, é dialogar mais com outros países.

"Aprendemos a importância de trabalhar juntos com amigos e aliados, e é por isso que estamos iniciando uma nova era de diálogo no mundo", afirmou. Obama disse que, ao contrário do governo anterior de George W. Bush, pretende dialogar com o Irã e a Síria.

"Os Estados Unidos vão buscar um relacionamento sustentado, respeitando nossos princípios, com todos os países da região, incluindo o Irã e a Síria", declarou o presidente americano.

Dirigindo-se diretamente aos iraquianos, a maioria dos quais se opõe à presença militar americana no país, Obama disse que seu governo não está interessado no território ou nos recursos do Iraque, invadido pelas tropas americanas em 2003.

"Os Estados Unidos não têm interesse em seu território ou seus recursos", afirmou Obama. "Respeitamos sua soberania e os enormes sacrifícios que vocês fizeram pelo seu pais."

"Esperamos que o governo iraquiano assuma responsabilidade total pela segurança do país", acrescentou.

Durante seu pronunciamento, o presidente americano anunciou ainda o nome de Christopher Hill como novo embaixador americano para o Iraque, substituindo Ryan Crocker.

Notícias relacionadas