Policiais peruanas são suspensas por aparecer seminuas em vídeo

O presidente peruano, Alan Garcia
Image caption O presidente peruano, Alan Garcia, apoiou a suspensão

Quatro policiais peruanas foram suspensas por dois meses sem pagamento nesta semana, depois que três delas apareceram seminuas em um vídeo, filmado pela quarta, no vestiário da força policial.

O vídeo - exibido no site cholotube.com - recebeu mais de 100 mil visitas nas 24 horas em que esteve disponível na internet.

O escândalo ocorreu quando um canal de televisão obteve as imagens mostrando as três agentes vestindo apenas lingerie e fazendo poses sugestivas.

O vídeo foi filmado por uma colega, em um telefone celular, quando as policiais estavam relaxadas e fazendo piadas depois do banho.

Tatcher peruana

A nova ministra do Interior peruana, Mercedes Cabanillas, disse que este tipo de comportamento não pode ser permitido dentro da Polícia Nacional, especialmente no local de trabalho.

Apelidada pela mídia local de Thatcher peruana - em referência à ex-primeira-ministra britânica Margaret Thatcher - Cabanillas disse que quer que a força policial seja mais disciplinada.

O presidente peruano, Alan García, respaldou a decisão da ministra, afirmando que o Peru precisa de uma mão dura, não permissiva.

"Precisamos de disciplina na Polícia Nacional e acredito que Cabanillas deu um bom exemplo. Não queremos 'vedetes' que estejam dispostas a defender a ordem pública peladas", disse o presidente.

As quatro policiais pertencem ao esquadrão Fênix, uma unidade de elite de controle de tráfego da polícia peruana, formada apenas por mulheres.

O esquadrão foi criado porque as autoridades acreditam que as mulheres estariam menos propensas a aceitar suborno do que seus colegas do sexo masculino.

Segundo o correspondente da BBC em Lima Dan Collyns, alguns peruanos acreditam que a suspensão foi um castigo muito forte e que a publicação do vídeo foi uma invasão de privacidade.

Outros acusam a nova ministra de abuso de autoridade e de tentar marcar pontos políticos poucos dias depois de ter assumido o cargo. Cabanillas tomou posse na sexta-fera da semana passada.

Mas há quem acredite que, como a polícia peruana já é pouco respeitada, a suspensão foi necessária para tentar restabelecer a reputação da instituição.